https://www.poetris.com/
Poemas : 

No torrão da gente

 
No torrão da gente
Sobra ilusão
Falta inclusão
Social
Cultural
Ambiental
Tem segredo velados
Nem publicáveis
Pelo dia tá calor
De noite fica frio
Coisa de minha
Capela
Sergipe
Brasil
Uma produção secular de cana
Move gente e chaminés
Mais gera um diacho de dependia
Pra nossa gente de boa fé
Poluição contamina a terra e no ar
O caxixe envenena rios e mata peixes
O fuligem entope pulmões
Enche hospitais
O emprego é sazonal
Não sobra dindim pra trapo e comida
Parece que a escravidão é eterna
Mesmo com farta mão de obra
Sobra carência
Nada de providência
Só mesmo Deus dará jeito na vida
Tem um povo alegre
Que por qualquer motivo faz festa
Arranca árvore na mata
Se arrasta feito cobra no chão
Toma banho de lama
Embriaga se com pinga e quentão
Quando boquinha da noite chega
Faz queima de mastro em fogueiraão
Depois tem farra de fogos
Na praça tem tremendo e perigoso clarão
Ninguém sabe de onde vem
Tanta alegria e disposição
Até fama já gerou
Com fogo
Gente e calor
Arrastando um pau de mão em mãos
Figuras irreverentes
Gostam da tal melação
Imagens percorrem o mundo
Falando da tal festança da melação
Que acontece no mês de junho
Em homenagens ao santo de tradição
São Pedro é o nome
Que esfria e aquec
Ritmos
Sonhos
E ilusão
Parecendo que a vida se resolverá
No estalar de dedos
E perseverança
Apesar do descaso
Da saúde
Do trabalho
Da cultura
Do meio ambiente
Da cidadania ..
E da educação
Qualquer semelhança
Perdoem as verdades
Bem ou mau ditas.

Por Lizaldo Vieira. ...


Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
55
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.