https://www.poetris.com/
Poemas : 

ETERNAMENTE

 
ETERNAMENTE
Já vivi tanto que já não sou.
Criança fui... Milhares: Menino, menina.
De tantas cores, como as cores do mundo.
Pobre, rica, negra, branca, asiática, indígena...
Tantas...
Jovem de todos os tipos fui infinitamente:
Tímido, extrovertido, alegre, triste...
Beatnik, Hippie, Punk, santo, bandido, bonita e feia.
Adulto, fui do lar, da cama e mesa, gerente, garçonete,
Motorista, capitão, a puta da esquina...
Velho... Ah, velho...
Como velho fui rabugento, amorosa, calmo, esquecido.
Vivi tanto e tantos fui que já não sou.
Tantos nomes. Tantas vidas...
Quantas mais terei?
Sou mutante. Sábio, tolo, ingênuo.
Eternamente.
Eternamente mudo, transformo, adapto, continuo...
Eternamente sou e não sou...
Já vivi tanto...(Proteus).


 
Autor
PROTEUS
Autor
 
Texto
Data
Leituras
200
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
bitcoin
Publicado: 12/09/2019 22:09  Atualizado: 12/09/2019 22:13
Da casa!
Usuário desde: 05/09/2019
Localidade:
Mensagens: 269
 Re: ETERNAMENTE
gostei... fez-me pensar... eu fui sempre punk. ainda hoje sou punk. pós punk. os hippies são muitos alienados. eu soube sempre o que queria. punk rock mas nunca gostei dos sex pistols. eheh porra... se com esta idade não soubesse quem sou estava lixado. sou um punk português. uso brincos e tudo. é verdade
uma boa noite caro amigo