https://www.poetris.com/
Poemas : 

Canto da Espingarda

 
Há algo de infame na mira
até de vergonha,...

Haver tanto possuir, num olhar
de quem sonha o alvo, uma presa,...

A bala
não é doce, somente desencanto,
arde
no último suspiro que se suspira.



Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra não respondo.

 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
64
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
1
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Juanito
Publicado: 01/08/2020 22:31  Atualizado: 01/08/2020 22:31
Colaborador
Usuário desde: 26/12/2016
Localidade: España
Mensagens: 2853
Online!
 Re: Canto da Espingarda
Gostei muito dos versos, mesmo sendo o canto amargurado de quem não gosta de matar.

Meus parabéns!!