https://www.poetris.com/
Sonetos : 

UM DIA EU ME DEI CONTA.

 


Um dia eu me dei conta que não detenho a beleza
Para ser a realeza dos grandes contos de fadas
Quando passo sob as escadas tenho as superstições
De que a vida não passa duma grande embromação.

Minha adolescência casta se quer eu beijei na boca
Nunca despi minhas roupas diante do olhar dum macho
Não conheci o dito cacho que ele tem entre as pernas
Por sua vez não os mostrei minha sagrada caverna.

Quando a inocência encerra -se nos bate o dito tesão
Então nos vem o ensejo das nossas masturbações
Nos colocando de fato aos pés destas tentações.

Hoje sei que o meu prazer faz parte do meu biotipo
Que não vou me constranger quando alguém falar disto
Mas me reservo ao direito de segredar aos meus fetiches.

PUBLICADO NO FACE EM 03/08/2020

Usuários do Youtube
vossas condutas me fascinam
antes de virar a esquina
terei mais de mil inscritos
é disto que necessito
para fazer transmissões ao vivo
https://youtu.be/fN9ishBISbQ

Enviado por Miguel Jacó em 03/08/2020
Código do texto: T7025261
Classificação de conteúdo: seguro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Miguel Jacó

 
Autor
Migueljaco
 
Texto
Data
Leituras
55
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.