https://www.poetris.com/
Sonetos : 

BOTÃO DE ROSA

 
Tags:  SONETOS 1996  
 
BOTÃO DE ROSA

Feriste-me a sangrar o peito em vez
De aceitar-me um botão de rosa aberto...
Passaste o nosso amor a descoberto
N'um misto d'esperança e insensatez.

Dar o que não se tem é intrepidez,
Mas a esperteza não valeu ao esperto.
O mercado do amor andava incerto...
Demasiado incerto a ti talvez.

Voltas ao meu jardim determinada
A reaveres a rosa desdenhada,
Aceitando-me o que antes rejeitaste.

Outro inverno, porém, desfolhou tudo.
N'aquele roseiral, hoje desnudo,
Outrora despontou a rosa em haste!

Betim - 09 09 1996


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
76
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.