https://www.poetris.com/
Sonetos : 

À MÃO LIVRE

 
Tags:  Sonetos 1998  
 
À MÃO LIVRE

Se o desenho é imagem desregrada,
Inverossímil traço o olhar me toma
Da Natura onde a mão logo retoma
À luz sua poesia figurada.

Está entre o olho e a mão toda a jornada
Que em sentido insuspeito à pena doma
Co'a transparência mesma de redoma
A abrigar-me a memória ultrapassada.

Um movimento livre tem meu gesto
Para haurir-me d'oculto algum segredo
Ao mal maior que fora a mim molesto.

Quase consolo d'alma ida em degredo,
Hei-de retornar o olhar ao que me é, de resto,
À mão livre traçar o meu enredo.

Belo Horizonte - 18 08 1998


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
57
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.