https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Duzentos

 



Tudo começou com o “Vazio”
E vai no “Porque sim”,
Entre o amor e o sombrio
Dei tudo de mim…

São duzentos "poemas" publicados
Em onze anos bem passados.

No português sempre fui fraco
Cometi muitos erros e cometo,
A métrica deixa-me num caco
E sinto-me assim incompleto.

O Luso Poemas foi meu abrigo
Para o meu saber leigo.

Li e leio grandes autores
E com eles tento aprender
O cuidado e os pormenores
Para que o poema seja fluido e fácil de ler.

Nestes anos passei despercebido
Pois sou pouco falador e acanhado,
Andei muitas vezes aqui perdido,
Muitas vezes incompreendido e mal-amado.

(...)

À minha psicóloga quero agradecer
Por não me ter deixado cair
E disse-me para continuar a escrever
Mesmo quando estiver tudo a ruir.

Disse-me também para escrever sobre o amor e alegria.
E para viver apenas o dia-a-dia.

A dona Isabel e ao senhor António, só tenho que agradecer
Pelo carinho, por me acompanharem e pela divulgação,
Pois mesmo sem os conhecer
Me deram força e motivação.

Aqui fiz muitos amigos
Encontrei o amor da minha vida
Apesar de não ter dado certo.
Aos mais novos e mais antigos
Continuem a escrever de forma destemida.
Um obrigado a todos por estarem por perto…



José Coimbra




Muito obrigado a todos que me acompanharam nesta jornada.
 
Autor
Legan
Autor
 
Texto
Data
Leituras
222
Favoritos
5
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
67 pontos
9
9
5
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 23/02/2021 14:39  Atualizado: 23/02/2021 14:39
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 6923
 Re: Duzentos
Quando a vontade impera, todas as barreiras acabam por ruír à nossa passagem. Continue a encantar-nos com seus maravilhosos poemas.
Estamos juntos nessa caminhada e abraço amigo não lhe faltará.

Abraço poético,
Upanhaca

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 23/02/2021 18:29  Atualizado: 23/02/2021 18:29
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade:
Mensagens: 4353
 Re: Duzentos


Que sentimento neste vazio
que de vazio não tem nada

Parabéns pelos duzentos poemas.

Obrigado pelo carinho poeta
neste anos que pela escrita nos uniu
e que foram muitos e sem dúvida muito produtivos
aqui encontrei um amigo nessa caminhada
muitas vezes penosa, a vida não é fácil para ninguém
só espero que continue a escrever como tem feito
olhe que nunca passou despercebido engano seu
e perdidos andamos todos em muitos momentos da vida
🙏 grata por tudo poeta José (Legan)

um abraço

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 23/02/2021 22:07  Atualizado: 23/02/2021 22:07
Colaborador
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: BRASIL
Mensagens: 742
 Re: Duzentos
Pouco tempo estou aqui , mas te encontrei como companhia. O poema também me fez muito bem.

Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 23/02/2021 22:35  Atualizado: 23/02/2021 22:37
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade:
Mensagens: 1348
 Re: Duzentos
Ora 200! 📚✍️

Que lindo número redondo, meu caro poeta José, pois é um dos bons e excelentes poetas deste espaço cultural, porque o exercício e a comunicação da escrita e da leitura é deveras agradável, onde o respeito e a empatia neste espaço do Luso Poemas, só valoriza o trabalho e a dedicação árduas, nas variadas formas de sentir e escrever a vivência entre os demais poetas.
E quem desta forma não assim proceder, só se vulgariza e não merece aqui estar.
Talvez não existam palavras suficientes e significativas que me permita agradecer-lhe com simplicidade e carinho com o devido merecimento, das suas obras publicadas.
A sua forma intensa de poetisar e rimar enriquece a cultura, agradando a mim e à família.
Gostei do vídeo do épico e ótimo cantor português, Sérgio Godinho, (pessoa com quem já provei profissionalmente)
O meu obrigado, poeta José Coimbra, continue a escrever com firmeza, pois a vida tem os seus bons e mais momentos, na vida de todos nós, portanto, um dia de cada vez.
Que os seus objetivos e projetos tenham sucessos.
Que o amor esteja seja presente com a força do sentimento, com fé, determinação e esperança.
Sempre por perto.
Um bem haja poeta.

Abraço.

António Fonseca

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 23/02/2021 23:46  Atualizado: 23/02/2021 23:50
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade:
Mensagens: 651
 Re: Duzentos
É certo que não li [ainda] nem a metade desses 200. Mas posso afirmar que dos que li, gostei, tendo me manifestado em apenas alguns deles.
Mas quem apresenta sua duocentésima obra ao som de 6DOIT certamente merece ter cada uma delas lida.
Parabenizá-lo por 200 poemas seria inócuo se não se pudesse mencionar a qualidade deles, apenas para anotar Porque sim, Uma lágrima Cai, Terra queimada, Teu nome numa pedra, Martelo da Inocência, Poema imperfeito, O teu próprio mundo, A caça, Meu suspiro...
Ou sem falar de nomes, mas repetir este trecho...:

"A cadeira está vazia
E a sala está fria,
Sinto a falta do teu calor
E da tua companhia.

O copo está vazio
E já não mata meu vício,
O silêncio é tão assustador
É como saltar num precipício."


Caro José Coimbra, um dia desses tomaremos uma taça daquele vinho que fazem perto de tua casa [fazem?]. Eu levo uma cachaça que um amigo faz aqui vizinho e colocamos a conversa em dia.
Por ora, minhas saudações...

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 24/02/2021 01:53  Atualizado: 24/02/2021 09:00
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16950
 Re: Duzentos
Mentiroso( para não chamá-lo pelo adjetivo mais completo)
Aqui fiz muitos amigos( muito mais que amigos, rsrs)
Encontrei o amor da minha vida( por gentileza cite o nome do moreno, insulta-me se alguém supor que esteja se referindo a mim, gosto de tudo às claras, bem diferente de você)
Apesar de não ter dado certo.


Não tenho esse temperamento destemperado, mas depois que coloquei um ponto final nesse namoro virtual (a distância), nesse namoro de fachada, insulta-me, provoca-me ao ficar me usando de escudo ainda ou por falta de assunto, então peço por gentileza que seja decente uma vez na sua vida, pare de blasfêmia e retire imediatamente os poemas que fingiu fazer para mim. Tenho nojo e repúdio extremo por você ou por qualquer coisa que venha de você. Esqueça que eu existo e pare de fingir qualquer tipo de sentimento. Respeita-me! Espero que tenha a decência de não responder essa mensagem e a gentileza de fazer o que estou lhe pedindo nela. Espero que coloque uma pedra nesse assunto como eu fiz assim que lhe despachei em setembro de 2020. Desculpe ser tão franca, sincera, diferente de você! Realmente somos seres com caráter opostos, personalidades bem distintas. Aplaude-te quem não te conhece, melhor que seja assim, pois não terão a mesma indigestão que eu tive! Fique bem!
Agradeço antecipadamente!



Enviado por Tópico
Veit
Publicado: 24/02/2021 12:33  Atualizado: 24/02/2021 12:33
Super Participativo
Usuário desde: 14/12/2019
Localidade:
Mensagens: 197
 Re: Duzentos
Caro José,
parabéns pelos poemas.
Eu perdi a conta de quantos escrevi.
Aprecio imensamente poemas de amor.
Por favor, continue a escrever.

Um abraço