https://www.poetris.com/
Sonetos : 

DESIMPORTANTE

 
Tags:  SONETOS 2021  
 
DESIMPORTANTE

E eu, que não sei nada; não sou nada,
Vivi o amor estranho dos erráticos…
Não me ceguei a lábios quase apáticos,
Tampouco a esta afeição desencontrada.

Fui quem atravessou a madrugada
E divaguei entre as sombras dos lunáticos,
Ao aceitar minha miséria em termos práticos
N'alguma solidão enamorada!

Embora eu queira muito, tive pouco 
De quanto tive em paga dos carinhos,
Que tanto esperdicei por meus caminhos.

E mesmo que outra vez passe por louco,
Me fazes encarar a todo instante
Minha presença a ti desimportante…

Betim - 28 12 2020


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
51
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.