https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

o verão em minúsculas

 
há uma luz que cega o tempo
erode o perfume do agora

e escurece suavemente o que vem

é um sempre além
que demora, que aquece
que sem vão se carrega

há um grito que ensurdece este lugar
numa breve melodia

coisa de provérbio, de aforismo

que resiste e depois
se enterra.


Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra não respondo.

 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
214
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
1
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge Santos
Publicado: 25/01/2023 17:21  Atualizado: 26/01/2023 17:01
Subscritor
Usuário desde: 18/08/2021
Localidade: Azeitão, Setúbal, Portugal
Mensagens: 1977
 Versão em Maiúsculas



Versão em Maiúsculas



Coisas que residem

Quem me dera uma pequena
Originalidade

Pra não demorar e ser,
Agora

Veremos.