https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A insubmissão do silêncio

 
Longe de tudo
a insubmissão do silêncio
o azul a escrever o espanto da alma
um grito profético de maré calma
em acordes de tarde faminta de vermelho.

Longe de tudo
o coração a escutar o avesso do espelho
as palavras a traçarem um canto de espuma
a vertigem da luz na memória dos dedos
a calar o pranto das águas.

 
Autor
idália
Autor
 
Texto
Data
Leituras
292
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
4
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alpha
Publicado: 09/10/2023 17:55  Atualizado: 09/10/2023 17:55
Membro de honra
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1860
 Re: A insubmissão do silêncio
Por vezes tudo precisa ser rasgado
Fazer entrar tudo em sublevação
Onde jaz avessos de sol adornado
Nada conseguindo meter travão!

Do silêncio pode nascer o tudo e o nada, ou até fazer calar o pranto das águas!


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 09/10/2023 19:53  Atualizado: 09/10/2023 19:53
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 10415
 Re: A insubmissão do silêncio
Nostalgia daquele que parece já nada possuir, solitário, agora no seu olhar as recordações, e a ausência dos melhores dias, como sempre é um gosto ler-te. e interpretar à minha maneira.

Beijinho
boa semana