https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Teu Anjo

 
Resposta ao poema de José Régio "Cântico Negro" Teu Anjo


Dá-me tuas mãos,
Segura firme porque vamos cavalgar,
Um cavalo alado nos levará ao infinito...
Mostrar-te-ei quantos caminhos podes ter,
Mas a escolha será sempre tua.
Agora vem, repousa por um instante
Tua cabeça em meu ombro,
Cerra os olhos cansados
Coloca os braços na minha cintura e segura forte
Confia em mim,
vou levar-te até o Sol.
Das lágrimas que juntos derramaremos
Teremos o céu por testemunha!

Nunca mais ficarás sozinho
Nem irás esperar por ninguém e por nada.
Jamais serás abandonado
Pois, as estrelas te darão guarida
E tudo o que pretendes saber
A Lua te dará a conhecer.

Tens tudo de que precisas
Para vencer as barreiras.
Não sou eu que te darei a coragem necessária
Para atravessares a noite escura,
Tu serás teu próprio Norte.
Mas, haja o que houver
Não deixes de viver
Pois, vieste ao mundo
Pelo que há de melhor em ti...

Que tu ames sempre o mais difícil ,
Não importa; cuida apenas de amar.
Faze tuas próprias regras, teus tratados
E sente a carícia da paz a te envolver
Para levemente tua boca tocar,
Deixando nos gélidos lábios um suave perfume.
Os anjos entoarão terna melodia
No céu e na terra todos se rejubilarão,
Pois encontrarás o teu caminho,
Uma estrada reta, silenciosa e florida!

R.R.(00:38)-22/01/2007




Regina Reis

 
Autor
reginamariareis
 
Texto
Data
Leituras
637
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
matilde
Publicado: 26/05/2008 00:44  Atualizado: 26/05/2008 00:44
Participativo
Usuário desde: 25/05/2008
Localidade:
Mensagens: 25
 Teu Anjo regina
Bem mas que resposta tão digna de um cÂntigo negro que se transfigura. José Régio ficaria porventura alegre ao ver este resultado e mais contente fico eu ao ver que ele não foi esquecido. Dá orgulho ser português sempre que ouço nomes de grandes escritores como o dele.
Obrigada pela partilha.

Saudações literárias