https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Portugal dos meus sonhos

 
 
Portugal dos meus sonhos


Ah! Se eu pudesse nesse barco navegar!
Enfrentava toda tormenta,
Lutava com as vagas
Para aportar em Portugal e viver só para te amar...
(Como te amo português!)

Tua voz nos meus ouvidos,
Com esse sotaque que me alucina.
Fico a pensar em tempos idos
Quando só a leitura encantava a menina...
( Como eu amava teus poetas!)

Oh! Portugal! Amei-te desde muito cedo!
O teu povo, teus fados, tua história.
Esse pequeno país de um povo tão sem medo!
Lendo teus grandes feitos encantou-me tua glória!
( Amei-te sempre Portugal...)

Hoje, cá estou a pensar.
Nesta repentina explosão
Que nada consegue explicar.
Será que veio lá do passado, num eruptivo vulcão?
( Tenho ficado a cismar...)

Há muito havia duas vidas entrelaçadas
Almas que por bem foram vividas
E que um dia se findaram abraçadas
Mas hoje renasceram assim tão floridas!
(Quem garante que não?).

Oh! Mar brasileiro não tão salgado!
Que vontade de te enfrentar.
Cruzar todo este oceano malvado
E o salgado mar português encontrar...
(Para num peito luso me aninhar!)

Regina Reis


Regina Reis

 
Autor
reginamariareis
 
Texto
Data
Leituras
1491
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/06/2008 02:22  Atualizado: 11/06/2008 02:22
 Re: Portugal dos meus sonhos P/REGINA REIS
UM POEMA LINDO CHEIO DE AMOR A PORTUGAL, CHEIO DE PAIXÃO BELAMAENTE DESCRITO EM SEU MARAVIOLHOSO POEMA.

UM LOUVOU A PORTUGAL, ADOREI, UM ABRAÇO AMIGO ESTIMADA POETISA.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/06/2008 02:42  Atualizado: 11/06/2008 02:51
 Re: Portugal dos meus sonhos
Hoje, cá estou a pensar.
Nesta repentina explosão
Que nada consegue explicar.
Será que veio lá do passado, num eruptivo vulcão?
( Tenho ficado a cismar...)

Por isso querida Poetisa.
Eu destaco essa estrofe, acho que houve um trote, cujo fruto é a restrição.

[não estou entendo nada. por acaso percebes algo, para que haja].

Um beijo,