https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sem título(58)

 
Porque quereria eu setecentos caracteres?

Porque quereria eu tantos caracteres?

Não sei se seria mais feliz com imensos caracteres

Ou até se teria mais carácter se tivesse setecentos caracteres!

E se fossem mil ou um milhão de caracteres?

Será que eu seria um deus ou o Olimpo inteiro?

E se eu for da raça de ter poucos caracteres,

Daquela estirpe dos cem ou seiscentos e noventa e nove caracteres?

Terei apenas direito à côdea dura e ao vinho azedo?

E porquê tantos caracteres se há tanta fome no mundo

E tanto sexo por fazer?

Será que setecentos caracteres serão a cura milagrosa

Das ausências de talento?

E que dizer daqueles que se bastam com trezentos

Ou quinhentos e dois caracteres?

Serão estes seres, fuzilados, enforcados ou gazeados?

Quantos caracteres exigiu Hitler aos judeus?

Quantos caracteres exigem os judeus aos palestinianos?

E Bin Bush quantos caracteres tem,

Quantos caracteres tem a estúpida guerra?

E a estúpida estupidez dos caracteres mede-se ao quilograma,

Ao litro ou ao metro quadrado?

E setecentos caracteres serão a besta negra do poeta,

A insanidade quadrada ou a redonda idiotice?


E Sophia, Pessoa, Natália, Florbela, Llansol, Almada ou Pessanha,

De quantos caracteres é feita a raça desta gente?

E Almada contou os caracteres ao Dantas?

E o sol brilha a quantos caracteres por minuto?

E quantos caracteres são precisos para escrever amor?

E a prata da lua é feita de setecentos caracteres,

Ou doutra matéria mais nobre?


E eu, eu que nem sei o que são caracteres,

Eu que nunca comi caracteres ao pequeno-almoço,

Eu que só quero é ser feliz e amar muito,

Eu que ainda um dia escreverei um poema,

Um belo e enorme poema

Um imenso poema sem caracteres nenhuns…

Eu que nasci para amar

Não quero ser mais importunado

Nem com sete nem com setecentos mil caracteres.

Eu vou ser feliz, ouviram-me?

Finalmente feliz, sem a porra dos caracteres

A azucrinarem-me os ouvidos.

Eu vou amar definitivamente

Definitivamente e sem caractere algum!


Dionísio Dinis

 
Autor
Dionísio Dinis
 
Texto
Data
Leituras
531
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.