https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Sombrios : 

Exorcismo

 
Ó bruto animal,
que dentro de mim te escondes,
alienígena de antanho,
nas minhas entranhas
entranhado, no meu tronco;
animal mil vezes animal,
te amaldiçoo, te renego,
vil besta: cala o teu ronco!

Oh! avantesma sem tamanho,
sei do teu canto escuro, não o estranho,
em que tantos anos te aprisionei,
em que não te faltei, com o alimento
- das frustrações fiz o teu sustento...

Acorrentei-te nas profundezas
receoso das tuas vilezas,
temeroso de tuas fugas;
de sangue pisado deixas rasto
almas magoadas são teu pasto,
dos seus corações a seiva sugas...

Ó mais feroz dos animais,
quando de tua toca sais,
treme o Mundo,
explode o medo.

Se tua carne, em eterna ferida, não apodrece,
que a tua revolta, que o teu grito que estarrece,
que o fogo e a morte que semeias
para bem longe os arremesses,
foge de mim, desaparece!


José Jorge Frade

 
Autor
josejorgefrade
 
Texto
Data
Leituras
4220
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/10/2008 15:39  Atualizado: 30/10/2008 15:39
 Re: Exorcismo
Nossa!Arrepiei, José Jorge!
É complicado olhar para dentro da gente e com tal clareza exorcizar os demônios.Muito bonito e intenso!
Bjins, Betha.