https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Desilusão : 

Luso do-ente 1/7

 
Luso do-ente
Ente que não sente
Verdade que mente
O caos seu agente
Tristemente!

***
Uma carta de despedida.
Despeço-me desta feira das vaidades visto que isto não passa de um antro onde meia dúzia de vaidosos se pavoneiam e onde uma maioria é usada, abusada e desprezada.

(Continua)


O homem antes de ser o ente do ser é o ser do-ente

Livros:

Quase um Livro:
www.rodinha26.blogtok.com
Coisas da escrita:
www.avkd.blogtok.com
Um tratado:
www.gov.blogtok.com

Projectos Web:
Um Portal:
ww...

 
Autor
JSL
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1359
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
55 pontos
37
1
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MariaSousa
Publicado: 08/12/2008 15:30  Atualizado: 08/12/2008 15:30
Membro de honra
Usuário desde: 03/03/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 4096
 Re: Luso do-ente
A dureza deste poema é assombradora, JSL.

O Luso sem ti fica mais pobre.

Deves ter os teus motivos...

Até sempre!

Bjs


Enviado por Tópico
Carolina
Publicado: 08/12/2008 15:42  Atualizado: 08/12/2008 23:01
Colaborador
Usuário desde: 04/07/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3491
 Re: Luso do-ente
Deixas-nos mais pobres e tristes, pois sais amargurado e deixas a tristeza nas palavras neste último poema.

Não sei de que lado me colocas, acho que estou no meio termo, não sou vaidosa porque conheço as minhas limitações, não tenho a pretensão de fazer disto profissão, nem ninguém abusa de mim nem de ninguém.

Feliz Natal para ti e para os teus

Um beijinho


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/12/2008 15:43  Atualizado: 08/12/2008 15:43
 Re: Luso do-ente
não gostaria de saber que estou sendo usada, abusada e desprezada, isso me faria muito mal, afinal estamos aqui por livre arbítrio. bj


Enviado por Tópico
LuisaMargaridaRap
Publicado: 08/12/2008 15:52  Atualizado: 08/12/2008 16:55
Colaborador
Usuário desde: 19/08/2008
Localidade: Portalegre - Alentejo
Mensagens: 1512
 Re: Luso do-ente
Lamento que partas, o Luso fica sempre mais pobre cada vez que um poeta vai embora, mas tu terás as tuas razões e saberás os porques da tua decisão.

Quanto ao abuso, até agora a unica coisa ( e falo-te por mim) existe um certo grupinho por aqui que condena, persegue pessoas que escrevem sobre temas diferentes ou porque por vezes a minha ousadia os fere( o que não entendo porque não se respeita a forma de se exprimir de alguém) mas enfim, não conseguiram ainda me fazer desistir de escrever livremente.

Em relação á vaidade, não me vejo por essas água, gosto do que escrevo e tenho os meus trabalhos como pequenos tesouros,talvez pequenos nadas( para alguns) grandes no meu todo, em que eu exprimo o q ue me vai na alma e na mente, sempre respeitei as pessoas desde que aqui cheguei, lamento somente que não o tenham feito( algumas) em relação á minha pessoa,

Ficarei á espera da continuação,

até lá,

Um beijo


Luisa Raposo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/12/2008 18:26  Atualizado: 08/12/2008 18:26
 Re: Luso do-ente
Mmmnnn...
José,
Gostei do poema.Fico no aguardo da continuação da carta.Confesso-me abusada (ousada). Não sei se sou maioria ou minoria.Então tá...Por ora é isso!
Bjins, Betha.

PS_ Já declarei anteriormente o quanto te aprecio e o que penso sobre despedidas.


Enviado por Tópico
Gothicum
Publicado: 08/12/2008 18:27  Atualizado: 08/12/2008 18:27
Da casa!
Usuário desde: 21/09/2008
Localidade: Galáxia de Andrômeda
Mensagens: 427
 Re: Luso do-ente
"O dia de amanhã ninguem usou... pode ser seu!"
(Autor Desconhecido)

O luso ficará mais pobre. abraços.


Enviado por Tópico
Carlos Ricardo
Publicado: 08/12/2008 18:59  Atualizado: 08/12/2008 18:59
Colaborador
Usuário desde: 28/12/2007
Localidade: Penafiel
Mensagens: 1885
 Re: Luso do-ente
JSL,
De facto, o teu desabafo é de uma frontalidade espantosa, sobretudo porque reflecte, a meu ver, a grande importância que dás ao assunto. Tens os teus motivos. Não queres lidar com uma situação que te desagrada e que não corresponde ao que terá sido uma ilusão. Não importa se fizeste bem ou mal ao criares expectativas elevadas. Sentes-te defraudado. Acho saudável que o sintas e não me parece mal que o manifestes. Tu e pessoas como tu farão sempre falta em espaços que se perspectivem construtivos e se desejem algo mais do que secção de editais.
E também acho que se alguém julga que se pavoneia neste espaço julga mal e, se se pavoneia, talvez mesmo só para si próprio. Sobretudo atendendo às contingências e limitações destas coisas.
Pela minha parte, não me sinto bem nem me sinto mal, nem tenho expectativas de melhor. Concentro-me naquilo que, bem ou mal, me interessa, ou seja, nos meus objectivos. Assim, tenho a certeza de que ninguém me desiludirá, só eu mesmo poderei fazê-lo.
Se escrevi tanto foi porque sou uma pessoa que não é completamente destituída de sensibilidade.
Um abraço.


Enviado por Tópico
DianaBalis
Publicado: 08/12/2008 19:21  Atualizado: 08/12/2008 19:21
Colaborador
Usuário desde: 23/07/2006
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 653
 Re: Luso do-ente
Gostaria de saber o que houve, não entendo o que quer dizer, mas espero que possamos sempre ler seus poemas e indagações emergentes.
Bjs


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/12/2008 19:46  Atualizado: 08/12/2008 19:51
 Re: Luso do-ente
Meu querido JSL, considero-lhe como uma das pessoas mais criativas e corajosas deste site. Isto é fato, para quem conhece seu trabalho e vc de perto.

Permita-me minha reflexão junto de seu poema: o Luso do-ente pode ser duas coisas ao meu ver, primeiro, como um espelho refletindo cada pessoa que participa dele, com tudo aquilo que engloba seu estado atual de consciência ou inconsciência; segundo, como um ente querido ou não em forma de entidade que neutraliza seus sentimentos para respeitar a história de vida de cada um, com problemas ou não que trazem aqui textos que saem de si e daquilo que cada um sente. Se a verdade existe, ela está diante de nós aqui na tela, se a mentira existe, ela está diante de nós aqui na tela, como podemos definir as ilusões escritas no site, se são verdades mentirosas ou não? Isto é algo que vem de dentro de cada um, e cada um deve ter consciência da sua verdade e da sua mentira. O caos muitas vezes é necessário para transformar a alma das pessoas, trazendo compaixão, solidariedade e a certeza de que NINGUÈM aqui é perfeito, estamos TODOS no mesmo barco. O nosso estado de espirito define nossa alegria ou tristeza, mas o mais importante é o que conseguimos transmitir de melhor para todas as pessoas.

Não gosto de despedidas, pois não acredito nelas. Na vida sempre nos encontraremos em algum lugar, com aquelas pessoas que nos atraem pelas afinidades enquanto novas caminhadas surgem nos portais da vida. E, meu querido "Zorro", vc é um lutador, guerreiro defensor dos seus ideais, eu tenho certeza que vc jamais se despediria definitivamente.

Uma pergunta eu te faço:

- Em que lugar do Planeta Terra vc não encontra com pessoas vaidosas, usadas, abusadas, desprezadas, orgulhosas, invejosas, etc??? Em que lugar? Diz pra mim... Vc acha que o Luso do-ente é o céu na Terra??

Bjos daqui da sua fã


Enviado por Tópico
Homo sapiens
Publicado: 08/12/2008 19:59  Atualizado: 08/12/2008 20:05
Participativo
Usuário desde: 29/11/2007
Localidade: Terra de ninguém
Mensagens: 33
 Re: Luso do-ente
Amigo José Lourenço

Pessalmente nada, ou quase nada tenho aqui postado. Mas sou um leitor assíduo, e particularmente dos seus trabalhos. A sua poesia possui talento e mérito suficiente para ser lida, mas não o é. Não se deve importunar com isso. Em anteriores debates se concluiu que um texto que reuna mais do que 30 visitas é, salvo raras excepções, um texto medíocre, porque é lido dentro de um grupo de interesses, de vaidades, de hipocrisias, de elogios mútuos. Tudo à margem do mérito poético. É a crónica da treta e o poema pimba que é lido e aplaudido. Não se aborreça amigo. Continue a postar porque a qualidade virá, por si, ao de cima. Deixe que os vaidosos se autoelogiem livremente.Porque aborrecermo-nos?!

Um abraço


Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 08/12/2008 22:59  Atualizado: 08/12/2008 22:59
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Luso do-ente
JSL ainda me lembro de quando chegaste e de ler os primeiros textos que por aqui partilhaste. Sabes que gosto do que escreves. Talvez não te diga tão frequentemente quanto devia, mas gosto e fazes falta aqui... De qualquer forma respeito-te e (penso que) sei onde te encontrar...

Beijo


Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 08/12/2008 23:15  Atualizado: 08/12/2008 23:15
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5058
 Re: Luso do-ente
Por acaso não conheço bem o seu trabalho, mas julgo ser de qualidade. Eu venho aqui postar umas coisas. Gosto muito de escrever mas sou autodidata.
É pena perder-se a possibilidade de lermos mais qualidade, para com isso aprendermos um pouco mais.
Apesar da sua decisão, os meus votos das maiores felicidades e que continue a criar boa poesia.
Um abraço.



Enviado por Tópico
Valdevinoxis
Publicado: 08/12/2008 23:58  Atualizado: 09/12/2008 00:01
Colaborador
Usuário desde: 27/10/2006
Localidade: Aguiar, Viana do Alentejo
Mensagens: 1997
 Re: Luso do-ente
Egos? Pavoneios? Acusações? Sintomático! Aos espaços só faz falta quem quer estar. Uns querem, outros não têm essa vontade. É a vida. Se o Luso fica mais pobre? Acho que não... é dinâmico.
Sem mais comentários.

Valdevinoxis


Enviado por Tópico
Ibernise
Publicado: 09/12/2008 02:52  Atualizado: 09/12/2008 05:16
Colaborador
Usuário desde: 04/10/2007
Localidade: Indiara(GO)
Mensagens: 1460
 Re: Luso do-ente
Querido amigo e ilustre poeta José Lourenço.

Peço encarecidamente que reconsidere sua decisão. Reflita sobre fatos. Um exemplo maior que quero deixar patente é que diferenças, sempre existirão.Tolere.Outro exemplo vc é possuidor de um grande talento reconhecido e respeitado, aqui no Luso-poemas e em outras paragens.Insisto, este reconhecimento tabém vem de muitos, irmãos lusos aqui.O dono da casa lhe ama como um grande amigo e lhe considera.São amigos (todos vêem) de reuniões e brincadeiras.São amigos de tantas horas verdadeiras.Então brilhe aqui nesta casa q tbém é sua meu amigo, tão querido. Brilhe, vc nasceu para brilhar não permita que nada ofusque o seu brilho.Pondere reconsidere.Há muita harmonia em um conflito, por mais paradoxal que pareça.Já escrevi uma vez, e repito agora.Não abandone esta casa, porque são muitos os que lhe admiram, e vc ficando, atende a tantos amigos e admiradores, e ainda contribui para mudanças de mentalidades. Este pode ser o ponto de equilíbrio, o uno que na multiplidade faz a diferença, porque , na verdade, não é apenas um.
Não se ponha a ver a banda passar, vc já é parte dela, já está à bordo.E isto é o que conta.

Quanto ao poema, pelo apelo forte a reflexão, ao repensar de uma situação, que pode apontar para muitos pontos de acerto, eu recomendo como favorito; pela brevidade e concisão e pela abertura de um debate saudável, que é motor de mudanças e reconsiderações. Há que se caminhar para um entendimento, somos poetas, sentimos e vivemos a poesia. Isto por si já é uma revolução de palavras e sentimento.Parabéns por sua genialidade poeta.


Bjs bom dia

Ibernise


Enviado por Tópico
Tânia Mara Camargo
Publicado: 09/12/2008 11:25  Atualizado: 09/12/2008 11:25
Colaborador
Usuário desde: 11/09/2007
Localidade:
Mensagens: 4263
 Re: Luso do-ente 1/6
Querido amigo pouco contato tivemos, aliás nem
mesmo tivemos oportunidade de nos conhecermos melhor,
muito embora virtualmente. Tens razão quando dizes
que os tapinhas nas costas, as panelinhas que se
formam, traz prejuízos a literatura. Eu estava
procurando ler os novatos, incentivá-los, pois
não admito que não se dê oportunidade a quem começa
no mundo literário. Mas fui apedrejada por alguns
e agora limito-me a postar nada mais. Não penses
que acho correto comentar apenas por amizade ou
por simples troca de favores, mas aqui não adianta,
vês as minhas leituras agora? Pouco comento e pouco
me comentam, é engraçado, (risos) quer saber
pouco me importa, não sobrevivo de leituras nem
de poemas, trabalho muito para ter uma vida digna.
E te digo tem gente que se tu não comenta te cobra,
é isso mesmo. Tu deverias ficar e combater as
situações que expõe em teu poema realidade.
É só a opinião de uma autodidata, sem referências
literárias de porte, uma Maria ninguém brasileira.
Beijos e fique com Deus!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/12/2008 12:06  Atualizado: 09/12/2008 17:25
 Re: Luso do-ente 1/6
Caro Poeta, inconformar-se, é a palavra e a atitude. o que tu desejas, eu, e alguns poucos atentos, é que os olhos vejam, os ouvidos ouçam e que a boca fale, denuncie. agora; dizer-se poeta e escrever poesia... aí é consciência de per si.

abraço fraterno.
Silveira


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/12/2008 12:21  Atualizado: 09/12/2008 12:21
 Re: Luso do-ente 1/6
Uma coisa que às vezes peço, mas não devia, pois deve ser espontâneo, é que quando não gostam dum texto, digam porquê... Raramente isso acontece. Não sei porquê...

O único que ainda me disse que um poema que havia escrito, não era poema (e não era) e que tinha erros (e tinha-os), como por ex. a mudança de narrador, da 1ª pessoa para a 3ª pessoa e depois novamente para a 1ª pessoa, falha de desatenção; foi o JSL.
E agora vai embora?
Que farei?
Que faço com os: muito bem, muito bem... Agradeço-os... mas não aprendo nada...

JSL, seja duro, o que tiver de ser... Também é preciso...

Apenas um lamento...
Quem sou eu, afinal?

Um grande abraço.