https://www.poetris.com/
 
Acrósticos : 

Já não me pertences

 
Eu pensava que te tinha. Que te tinha... Aqui, reconfortado nos meus braços; lá, prendido aos meus pensamentos; longe, livre mas agarrado; calado, mas surdo pelas saudades que gritavam aos teus ouvidos. Pensava que bastaria qualquer palavra para te fazer voltar a mim, qualquer sussurro para que um arrepio te despertasse do teu sono inconsciente, qualquer canção entoada com a voz de quem gosta e de quem sempre quer mais. Pensava...
É como sentir a tua mão sobre o meu ombro, mesmo sabendo que já não estás. É como sentir um quente abraço teu, quando sei que tenho agora o corpo nu, ao vento. É como sonhar que te olho nos olhos, quando à minha frente apenas tenho vazio. É como sentir que ainda te tenho, quando sei que isso foi de outra vida. Transformas o meu riso num choro compulsivo, numa sensação de solidão imaculada, num fogo apagado, ainda com o ténue cheiro a fumo.
Fui andando, por essa estrada fora, sem ligar à tua sincronização forçada com os meus passos. Fui caminhando, porque te queria, mal ou bem, ao meu lado; porque precisava, a cada momento, da tua respiração quente no meu pescoço, do teu abraço sentido, dos teus olhos que me percorriam o corpo e que, quando se fixavam nos meus, me faziam sentir que tudo estava bem. Às vezes, ficava sozinha, durante a noite, sentada na minha cama, a olhar o vazio, a desejar a tua companhia, pelo menos a tua voz, a imaginar o reencontro fugaz dos nossos corpos cansados, mas habituados. Ficava pensativa, até que a buzina de um carro apressado, que vagueava na rua escura, me despertava destes pensamentos alheios. Acordada. Ainda o estou. Sonhando ingenuamente com esses dias confusos.
 
Autor
JoanaM
Autor
 
Texto
Data
Leituras
722
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
FatinhaMussato
Publicado: 15/02/2009 14:22  Atualizado: 15/02/2009 14:22
Colaborador
Usuário desde: 17/11/2007
Localidade: Jales (SP / BR)
Mensagens: 2106
 Re: Já não me pertences p/ JoanaM
Muito belo texto de amor e de saudade, minha querida poeta!
Parabenizo-te por tua inspiração e talento!

Beijinhoa n'alma!

Fatinha.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/10/2014 05:51  Atualizado: 05/10/2014 05:51
 Re: Já não me pertences
seu eu poético me passou uma imagem de grande apego a um sentimento quebrado, q a saudade distorce da realidade devido a tristeza, a dor da perda e isso fz um grande mal para o evoluir da alma,pq agente foi feito para ser feliz,o luto fz parte da vida,perder um amor tb é entrar em luto mas tem o tempo do começo e do fim,passou disso o psicológico fica de paranoia,por isso é bom fz o exercício do desapego,largar mão e seguir novos horizontes,o mundo é a vasta e a vida é bonita,tal qual aquele sambinha,rsrs, gostei muito de ler e foi essa impressão q tive,vc escreveu com o coração sensível.