https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

está ali ao canto um morto e não se vê

 
para fora escapa-se o dentro
já corrompido por cercanias feias,
por orlas de formas meias,
por gravitações sem centro
que aguardam pelos pedaços
engastados nos destroços
de uma pele retalhada a direito.

é profundo e estreito
este género de despeito
que vai e vem escorreito
enquanto se verte o, ainda, liquido,
o, ainda existente, liquido,
o, outrora corrente, liquido,
o que já quase não é, liquido...
expesso e opaco de tingido.

ignora-se a não presença,
aquela falta de vida por sentença
que continua estatelada na rua
sem que se mostre que alguém a vê...
é indelével a invisibilidade crua,
o quão ausente a imagem se lê,
naquele desenho a preto e branco
que acentua um certo mal franco.

faz sentido, todo o sentido
olhar e não se ver.

Valdevinoxis


Nas troikas não há camaradas e da camaradagem não nascem troikas.


 
Autor
Valdevinoxis
 
Texto
Data
Leituras
736
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
5
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
emi
Publicado: 28/03/2009 00:05  Atualizado: 28/03/2009 00:05
Participativo
Usuário desde: 08/03/2009
Localidade:
Mensagens: 14
 Re: está ali ao canto um morto e não se vê
ignora-se a não presença,
aquela falta de vida por sentença
que continua estatelada na rua
sem que se mostre que alguém a vê...

simplesmente genial

Enviado por Tópico
Antónia Ruivo
Publicado: 28/03/2009 09:37  Atualizado: 28/03/2009 09:37
Colaborador
Usuário desde: 08/12/2008
Localidade: Vila Viçosa
Mensagens: 3906
 Re: está ali ao canto um morto e não se vê
É muito mais cómodo olhar e não se ver, será que as consciências dormem tranquilas,beijinhos

Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 28/03/2009 10:07  Atualizado: 28/03/2009 10:08
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: está ali ao canto um morto e não se vê
Para lá do estilo, tão peculiar e marcante em Valdevinoxis, e da forma, fluída e irreverente, despertou-me a atenção, por isso comento para aplaudir, a universalidade da crítica dos comportamento viscosos, peganhentos, balofos, que olham as coisas com leveza, ou por mero oportunismo, sem nada verem. Crítica e vício que não têm esquerda ou direita, credo ou religião.
Abraço

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 28/03/2009 10:57  Atualizado: 28/03/2009 10:57
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: está ali ao canto um morto e não se vê
Val,

Muitos passam olham e fingem não ver, outros viram a sua cara para o lado contrário para não ver, outros omitem, simplesmente. Mais difícil olhar com olhos de ver e actuar a perceito...

Seu poema é...Sublime!
É um dos meus favoritos.
Abraço

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 28/03/2009 11:35  Atualizado: 28/03/2009 11:35
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: está ali ao canto um morto e não se vê
Infelizmente o que importa, o que vale, é o que se compra e se vê. Vivemos a ditadura da impotência de sentimentos. Vivemos o contrário.
O ostentatório, que faz questão de mostrar o dinheiro e mostra quem somos: dignos de ser admirados.
A angústia fica ali num canto da rua...

Faz sentido, todo sentido
olhar e não ver.

Aplausos!

Bjs
Vania