https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Leo Marques

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Leo Marques

Não tenho pretensão a ser escritora ou poetisa, mas o passar para o papel o que vai em minha alma e no meu coração, me aquece, e ilumina os dias, por mais frios e cinzentos que sejam!São gritos de alma!! O papel não nos ignora, nem nos regeita... somos n

Recordação de Infância

 
Mais um novo dia está a nascer,e em cada dia há e haverá sempre um novo amanhecer.
Como é gostoso e que felicidade acordar com os primeiros raios de sol,ele entrando pelas frestas da janela como que a medo de me acordar.Nesta manhã como que por magia, acordei feliz eu que ao acordar, fico mal humorada.Este era um acordar diferente,abri com alguma dificuldade meus olhos,ainda não estava bem disperta...mas meu pensamento tomou seu rumo como se fora cavalo alado.
Eu sem dar conta subi em sua garupa,era estranho, mas não tive algum receio,estava muito feliz, para sentir medo, fosse do que fosse,sabia que a felidade jamais magoa.
Viajei em sua garupa a tempos remotos...estranho que foi olhar e ver meu passado.
Parou num belo prado verde com seus aromas silvestres,suas flores vivas de todas as cores,e livres pelos campos.O vento suave minha face veio tocar como se fora um beijo.dizendo:bem vinda!
Cheguei no tempo presente para a chegar a um passado tão distante,mas ao mesmo tempo tão real e tão próximo.
Continuei passo a passo meu caminho,cheguei a um ribeiro, que atravessei de pedrinha em pedrinha, como já o tinha feito tantas outras vezes.Cheguei á outra margem, ao longe avistei uma casinha, ao ver a porta entreaberta decidi continuar e sem bater entrei...sentia-me confiante e segura naquele lugar,lá de dentro vinha o aroma a café,aroma que eu sabia conhecer;olhei e vi que estava enm cima da mesa e que ainda fumegava,ao lado uma tigela de barro,com cubos pequenitos de pão;era o meu pequeno almoço.Era este o pequeno almoço"sopas de café" de quem pouco tinha para oferecer.
O lume de chão aceso a curar os enchidos,era bonito de ver, mas sempre que havia matança, eu me escondia a chorar.
Ao olhar em redor da fogueira vi dois seres já muito velhinhos sentados na sua cadeira de buinho cada um a seu canto da chaminé.
Ele muito curvado com suas mãos enrugadas segurava seu cajado.Ela também velhinha, sempre com seu avental,enrolando e desenrolando sua ponta entre os dedos.
Quando num repente um som vindo da porta me fez acordar.
Olhei em meu redor estava no meu quarto,e meus netos batendo á porta.Tudo não passara de um sonho,e que em tempos fora acontecimentos.
Meus avós na sua casinha modesta,esperando eu chegar para tomar o pequeno almoço e passar o dia com eles.
Acordei feliz e continuei feliz porque meu amor por eles continuava bem vivo assim como as recordações de infância, estas e outras fazem, parte para sempre do amor pelos meus avós e da minha história de vida.
 
Recordação de Infância

Primavera S/ andorinhas

 
Primavera S/ andorinhas
 
Depois de ti mais nada.
Sou o céu sem estrelas,
Primavera sem andorinhas
Sou vagabunda p´las ruelas.
Sou poema ausente de palavras.
Sou barco no mar á deriva
Sem ti... não sou nada.
Nada,mesmo nada eu sou!
Ando pelo mundo perdida,
Não encontro qualquer saída.

Meu jardim jamais floriu.
Nem ouço as crianças a rir.
Tudo ao meu redor é sombrio
Tudo partiu,no teu partir.
Sem ti,que sou eu?
Depois de ti mais nada,
Se por ti deixei de viver.

Abriste a porta do meu ser,
Mas...de rompante foste embora
Nem tão pouco quiseste ouvir,
O que eu tinha para te dizer.
Que sem ti,nada sou,sem ti não sou nada.
Que por ti, me deixarei morrer
Depois de ti mais nada.

A porta do meu ser ficou fechada.
 
Primavera S/ andorinhas

Nasceu uma princesa

 
Acabou um anjinho de nascer!
Seu Anjo da guarda lhe ilumine,
Ao longo da vida seu caminho.
Sua família tenha sempre presente,
Para a ajudar a ser feliz e ver crescer.

Com a certeza de todos terá carinho
E será uma bela e linda princesa!
É o rebento de muito amor,
De sua mãezinha e do paizinho.

Parabéns á Maria José… sua titia.
Esta ouvinte quer lhe ofertar
Seu coração transborda de alegria.
E muito amor e carinho
Certamente te irá dar!
E dos priminhos Tiago e Rafael
Muitas brincadeiras para brincar
Assim vos desejo muitas felicidades
A ti princesa Margarida
E a todos os teus familiares!

Évora,19-06-2008
Leo Marques
 
Nasceu uma princesa

Meu sonho

 
Procuro viver p`ra amar
Vivo a vida de emoção
Tão grande é meu querer,
Que magoa meu coração.
Procuro aqui e acolá,
Sem nada encontrar
Também me irei perder
Na vida vou escorregar.
Mas não é este meu querer
Deve ser sonho do mal
Que eu estou a sonhar.
Continuarei a procurar
Entre a água e o sal
O amor hei-de encontar
O sonho meu irei realizar.
 
Meu sonho

A flecha que feriu meu coração

 
Filha... tuas lágrimas vi cair
por tuas contas não puder pagar.
Tuas palavras meu coração a ferir.
De dor,por te amar!
Todos os dias na vida
tenho um desafio p´ra vencer
todos os dias na vida
um sonho para concretizar
as desilusões na vida
eu tenho que percorrer.
E meu coração magoar.

Meu coração está a chorar
Magoado de dor por amor
parece estranho a contradição
Meu coração dilacerado
por uma flecha bem certeira
Condenada por não ter...
carteira muito recheada.
Condenada por não ser... rica.
Embora não me sinta culpada!

Como mãe fiz minha obrigação
Mas sem o teu querer
tudo o que fiz,foi em vão.
De nada,e nunca me vou arrepender.
Hoje já estás mulherzinha
e não entendes,só dou o que posso.
Não nasci em berço de ouro,
e quando se vive do trabalho,
jamais se tem um tesouro.

Meu coração continua a sangrar
De tuas palavras derradeiras
flechas em meu coração certeiras.
De filha que sempre recebeu
amor carinho,e atenção
Parece que nada disso tem valor,
bens materiais,talvez a melhor condição
Filha...onde,e porquê errei?
Filha...será que meu amor não tem valor!?
 
A flecha que feriu meu coração

Sem Eira Nem Beira

 
Sem Eira Nem Beira

Mais um dia em que me sinto perdida
Perdida de mim, perdida no mundo
Será que o mundo me esqueceu!?
Ou sou apenas eu...que me esqueci.

Não creio...também nem quero acreditar.
Quando se nasce, em nosso destino,
Está escrito...tens que aprender a voar.

Sei que aprendi. Mas sem consentimento,
Caí aos poucos, sem ter asas p`ra voar.
Quero encontrar o meu eu...Verdadeiro

Eu já me procurei em cada belo jardim,
Só meus olhos, viram as flores do canteiro
Também procurei no azul do mar e do céu.
Só meus olhos viram tanta beleza sem fim!

Estou a ficar cansada de tanto me procurar.
Por mais que tente, sempre é procura em vão.

Meus olhos vêem toda a beleza do mundo
Só que meu coração está de mim tão perdido.
Que me faz andar como barco no mar á deriva.

Hoje sou mais um pássaro na asa ferido.
Sem ter eira nem beira,
Nem asas para puder voar.

Vou caminhando p`lo mundo,
Como se fora um vagabundo
Tentando o meu eu...encontrar.

Leo Marques
 
Sem Eira Nem Beira

Fim de viagem

 
Pai...
Há um mês que partiste
P´ra noutra casa viveres
Foi a DEUS que seguiste
No dia em que morreste.

Meu coração de dor chora
Tão rápido te vi partir
Tinha chegado a tua hora
Nada pode fazer p`ra impedir

Estamos só de passagem
Desde o dia que nascemos
Sem sequer nós sabermos
Um dia termina nossa viagem.

A DEUS estou agradecida
Por não te deixar sofrer
Era para ti a morte linda
Partida que tu pedias a Deus
Partida que gostavas de ter.

És mais uma estrela a brilhar
Neste nosso enorme firmamento
Meu SANTO por nós a olhar
Aliviando a todos o sofrimento.

Meu pai querido...
Ainda um pedido te quero fazer
Roga a DEUS NOSSO SENHOR
Para cuidarem de nós com amor
Como sempre ambos o souberam fazer.

Escrito dia 28/07/2007

Pai...Beijinhos de tua filha
 
Fim de viagem

Minha meta

 
Hoje me sinto desamparada
Minha vida vive em turbilhão
A alma de tristeza cansada
No futuro nem sequer ilusão.

Queria tanto,ainda ir estudar
Quase que me sinto analfabeta.
Tenho de continuar a trabalhar,
Quarta classe foi...é minha meta.

Sei,que esta vida é passagem
Não se conhece quando finda
Sempre há um fim de viagem.

Não conheço meu novo percurso
A morte precisará de coragem
P´ra levar quem não tirou curso
 
Minha meta

Beco sem saída

 
Nossas vidas se cruzaram
E o destino nos atraiçoou
É um beco sem saída
O tempo atrás não voltou.

Teima as lágrimas cair
Porque estou de partida
Sei que te vou ferir
Mas a vida para nós
É um beco sem saída

Temos que seguir rumos diferentes
O destino assim quis
A idade não perdoa
É p`ra contigo ser feliz!

Percorro a estrada da vida
Sempre p`los mesmos caminhos
O beco não tem saída
Como eu não tenho
Os teus carinhos.

É um caminho sem volta
Que vou ter que percorrer
Sózinha pela estrada fora
E amar-te até morrer!

(gravada pelo duo musical Susy & Sérgio)

Direitos da SPA
 
Beco sem saída

Saudade

 
A vida passa em frenesim
Como se fôra cavalo alado
Tenho saudades de ti de mim
De nós...de nosso passado.

A saudade toma conta de mim
Aos poucos minha vida vai levando
Se fôr para ficar junto de ti
Minhas lágrimas irão secando.

O tempo:esse passa bem veloz
Não tenho tempo de o acompanhar
A saudade não passa,saudade de nós.
Desse tempo que tive p`ra te amar.

Só queria estar em teus braços
Neles de novo me aninhar.
Talvez pudesse ainda viver,
Mas a saudade me está matando
Por esse amor me deixarei morrer.
 
Saudade

"Amor" te escrevo esta prosa

 
Meu amor…
Quanta saudade de ti de mim, de nós. Saberás com certeza, o quanto sofria quando te via triste. Meu coração ficava doendo de tanta tristeza.
E, quando sentia que me querias dizer, o que ia em tua alma…Mas, apenas se via em teu rosto um sorriso sombrio, que dizia mais que mil palavras, as palavras eram quase inúteis, entre nós, bastava apenas um olhar para dizer, o que o outro, estava sentindo.
Amor…Sabes o quanto sonhava, puder acordar contigo a meu lado.
Até as coisas mais simples, se tornaram quase um desejo doentio, por saber que jamais, se iriam concretizar.
Como gostaria de colocar, uma música romântica, para que pudéssemos dançar, num só corpo, em um só sentimento…no amor que nos unia.
Como seria gostoso, puder passear de mãos dadas á beira-mar, nossos pés acariciando a areia, e as ondas de espuma, beijando-os suavemente. Correr pelos campos floridos, apanhar suas flores silvestres, para com elas fazer grinaldas, sentarmo-nos no chão, rirmo-nos de tudo e de nada, e namorar como se fôssemos ainda adolescentes.
Sei que é utopia, na vida real nem tudo são rosas, mas…Quantas vezes falámos, que os problemas eram minimizados, porque poderíamos contar um com o outro. Era total a nossa cumplicidade, e quando existe um amor verdadeiro, ele é a força e a esperança, de que o dia de amanhã, será melhor do que o de hoje.
Embora, mesmo havendo, um grande e verdadeiro amor, sempre havia discordâncias, que acabava num entendimento!
Só que a realidade falou mais alto e talvez a sua maneira de ser, tenha contribuído para tal. Sem culpas, nem desculpas, você teve que partir. E assim todos os meus desejos
Partiram com você.
Ainda ouço a tua voz, sussurrando palavras de amor, o teu cheiro ainda está em mim,
Também posso sentir, o teu olhar me desnudando e o sabor do teu beijo pedindo outros mais.
Meu amor, ter você junto de mim me daria vontade de lutar, para de novo ter a minha felicidade. Como isso não será mais possível, tenho que viver resignada, mas feliz porque amei e fui amada.
Mas, há muito tempo, decidi que não te iria esquecer.
Assim busco em mim, o teu amor, para continuar a viver.
Nesta saudade, te escrevo esta prosa, no nosso entardecer.

Leo Marques
 
 "Amor" te escrevo esta prosa

Tempo S/ Tempo

 
Por vezes deixamos,
O tempo passar sem tempo.
O tempo esse voa,
Sem asas ter.
Assim nos esquecemos
Do tempo em que não há tempo.
P´ra vida viver.

O tempo não dá...tempo
P´ra mimar família e amigos
O tempo não dá...tempo
E passa sem se dar conta.
E um dia o tempo...
Esse que nunca,nos deu tempo
Se encarrega de ter tempo.
Para nos levar.
Mas...por vezes nem assim,nos dá tempo
De sabermos que terminou nosso tempo
P´ra tentar algo resolver,ou remediar.
Como ser...viver esse tempo.
Que em nossas vidas,passou a voar.
Hoje,como não consegui parar o tempo.
Dei tempo ao tempo,antes d`le acabar
Para dizer á família e amigos,
O quanto são importantes em minha vida
Mesmo nesse pouco tempo.
Que tenho tido para vos dedicar!
Porque mesmo não tendo tempo
E o tempo passe a voar.
Tive sempre tempo...
P`ra semear receber e regar
Amor e amizade em meu coração.
Um dia,quando este tempo terminar
Os levarei em minha oração.
Aí poderá ser tarde demais!?
Mas terei todo o tempo,
Que o tempo,não deu tempo
Para vos amar.

Beijinhos para minha família e amigos

14/12/2008
 
Tempo S/ Tempo

Carta a meu pai

 
Pai, amor de minha vida, onde estarás neste momento? Não tenho a certeza onde te posso encontrar, para esta carta te ser entregue.
Mas irei até ao universo para a levar. Não sei quando mas sei que voltaremos a nos abraçar, e dizer o que deixamos de dizer.
Hoje, é apenas mais um dia, em que surgiu a saudade de ti, da tristeza do que não te disse, talvez por cobardia. Não sei.
Quero que saibas, que sempre foste o amor de minha vida, e em minha vida.
Por vezes o teu olhar, me amedrontava, me indicava que ia chegar uma tempestade, outras vezes me acalmava e anunciava a bonança, tu sabias bem disso! Esse olhar que chegava dos teus olhos cor de mar, diziam tudo o que diriam teus lábios, se deles saísse as palavras.
Tu eras meu amor especial, tinhas uma beleza interior, que fazia inveja a muita gente.
Sociável, bem disposto amigo de todos, e todos te respeitam e admiram, ainda hoje é muito gratificante ouvir falar de ti, és o meu orgulho.
É melhor hoje falar de nós, antes que este tempo, também se esgote no tempo. Da saudade que tenho de ti, do quanto dói meu coração, pela tua ausência.
És, e sempre serás, o homem de minha vida. Embora não me recorde do teu amor demonstrado abertamente, quem me dera que o tivesse visto, como se fosse um livro aberto, sentia que me amavas, claro que sim!...Era um amor envergonhado, escondido, talvez com receio dos tempos, esses tempos que o pai não o podia mostrar.
Como os tempos iam mudando, tu: Graças a Deus acho que sem te dares conta talvez: foste mudando aos poucos, por essa tua mudança, eu tive a felicidade de ainda sentir teu afago, tuas carícias em meus cabelos já brancos, o beijo dado com mais fervor, mais há vontade, parece que tinhas perdido o receio, de algo que eu nunca entendi.
Mas nunca me disseste eu te amo---Talvez já fosse pedir-te demasiado. Será?!
Sabes eu não te escrevi só esta carta, escrevi muitas outras, que rasguei e as dei ao vento.
Outras escrevi em pensamento mas também elas voaram, mas no tempo. Mas ainda te disse o que por ti sentia.
Sei que sabes e sentiste o quanto te amei, e quero dizer-te mais uma vez, que sempre estarás em meu coração, és meu amor eterno.
Ainda tive coragem, sim!!! Parece mentira, mas era a minha realidade, precisei de coragem, mas disse-o. EU TE AMO MEU PAI !!
Só não sabia que há quatro anos atrás tinha que ser eu a te ver morrer, que tinha que ser eu a tratar do teu funeral, que tinha que ser eu a escolher o teu caixão.
Pai não leves a mal, mas a mãe não tinha forças para o fazer, e os manos não tiveram coragem.
Mas não me perguntes nem tu nem ninguém como o consegui fazer… mas fi-lo com o coração dilacerado.
Pai a promessa; eu tenho cumprido de cuidar da nossa mãe o melhor que posso e sei.

Leo Marques

1/05/2012
 
Carta a meu pai

Hoje sou finalista

 
Vou tentar ninguém desiludir
A todos que sempre me ajudaram
Degrau a degrau irei subir
Até meu curso tirar conseguir.

Sonho ter um futuro brilhante
Por isso estou trabalhando
Vou continuar a ser estudante
Por esse sonho irei lutando.

Cada passo é minha conquista
Esse futuro um dia alcançarei
No colégio D.josé sou finalista
O meu quarto ano aqui terminei.
Com meu sucesso lhes agradecerei.

Me espera uma nova conquista
Mas nunca haverá meta final
São meus sonhos,não levem a mal
Cresci e estou muito feliz.
Porque também sou finalista.



Pedido que me foi feito pelas educadoras de uma escola.A escrevi com muito carinho,e o melhor que consegui fazer.

Letra escrita dia 30/10/2008
Para a festa de final do ano lectivo 2009,dos seus alunos do quarto ano.

Obrigada S.M.
 
Hoje sou finalista

Será defeito meu?! 1

 
Hoje dei comigo,a pensar e ao mesmo tempo a falar de mim para mim.
Foi estranho,porque nunca analisei o meu eu.Talvez seja mais fácil,olhar com olhos de ver, a vida,os sentimentos,os olhares,as atitudes de outras pessoas.Ou será defeito meu?!
Quem me conhece sabe e diz que sou prespicaz em conhecer o outro,em saber dar a volta a qualquer situação,e até em ajudar quando está ao meu alcance.
Mas hoje cheguei á conclusão que não me conheço tão bem assim,e nunca dei oportunidade ao meu eu para me ajudar.
Sempre fiz meus rabiscos,acreditando piamente que era maluquice da minha mente.
Quando algo me perturbava,ou magoava,sempre dava um jeito de passar para o papel,depois,passado algum tempo rasgava.Só não sei porque o fazia...por vergonha,para não magoar outros,ou porque sabia não ser importante nem para mim e muito menos para outras pessoas.
Não me perguntem:porque não sei responder,esta é a verdade!
Sei sim...que sempre escrevi desde os meus nove anos.
E se hoje dei comigo a pensar,não foi por acaso,mas porque tenho recebido comentários muito gentis,mas muitos deles e até em privado,questionando a minha escrita,outros mesmo através dela me conhecem melhor do que eu mesma.


14/08/2008
 
Será defeito meu?! 1

Farrapo de mim

 
A solídão que me atormenta
Em cada dia em cada noite
Em casa na rua
Por entre a multidão
Sinto-me só e abandonada
Como um farrapo qualquer
Farrapo de mim
Farrapo de nada.

Não sei se existo
Ou se alguma vez existi
Lutei contra tudo e todos
Até a solídão tomar conta de mim
Não foi esta a vida que escolhi
Mas a vida quis assim
É esta a vida que vivo
Farrapo de mim.
 
Farrapo de mim

Cega de paixão

 
Quando ela encontrou o amor
Perdeu logo sua razão
Deixou de pensar por ela
Só obedecia ao coração.

No seu coração apaixonado
O amado não tinha de feito
Assim foi vivendo a utopoia
Porque ninguém pode ser perfeito

Quando os trapinhos juntaram
Logo começou grande confusão
Gritavam um com o outro
Já não ouviam seu coração

Esqueceram seu grande amor
Que diziam ambos sentir
Brigavam por tudo e nada
Nenhum deles já sabia sorrir.

Como é tão cega a paixão
Que bloqueia o pensamento
Deixou comandar seu coração
Agora a vida é só desalento.

Como era grande seu sofrimento
E seu coração também a enganou
Resolveu terminar o casamento
P´ra casa de seus pais retornou.

6/9/2004
 
Cega de paixão

Mar d`águas douradas

 
Mar d`águas douradas
 
Até ti navega meu pensamento
Entre o passado e a saudade
Entre o presente e a realidade
Absorvendo um amor ardente.
Ao futuro que a Deus pertence
Naufraga nosso amor p`ra sempre.

Raios de um luar luminoso
A brisa suave e doce a mar
O som das ondas harmonioso
Nossos corpos veio ondular.

Cada momento,momento especial
Semblante de muito doçura
Pedras preciosas feito areal
Intimidade de grande ternura.

Neste mar de águas douradas
Vai naufragando o sentimento
Todos os dias,nossas madrugadas
Até ti navega,meu pensamento.
 
Mar d`águas douradas

Nas asas de um condor

 
Sentada na areia á beira mar
Vi a espuma a rolar entre as ondas,
Que docemente vinham beijar meus pés
As gaivotas a sobrevoar este paraíso
Faz reflectir e sempre nos acalmar
Retroci no tempo recordei o passado
Com o desejo de puder atrás voltar.

Estava sózinha neste belo areal
Com o meu eu,meu passado e o mar
Recordei que esta cor azul celeste
Foi palco de grande felicidade,
Meus filhos nesta água a brincar.
Hoje já não se recordam mais de mim
Já não têm mais tempo para me dar
Com suas asas sózinhos podem voar.

Entre passado e pensamentos
Voei nas asas de um condor
Para meus filhos abraçar
São ainda bem pequeninos
Não sabem ainda nadar.
Os peguei em minha mão
Pisamos o areal até beira mar
Com meus filhos pude brincar.

Quando de repente a brisa suave
Minha face também veio beijar
Acordei para a minha realidade
Minha companhia sómente este mar.
 
Nas asas de um condor

Sem inspiração

 
Sem inspiração
 
Hoje em mim não existe inspiração
Nem eu mesma sei,o que sinto
Somente esta dor,esta tristeza
Que me atormenta me angustia.
E esta ansiedade sem fim
Que aperta meu peito.
Talvez seja do dia cinzento
Ou da chuva muito miudinha
Que lá fora está caindo.
Será DEUS que também descontente,
Faz da chuva as lágrimas minhas.
 
Sem inspiração