https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de amifrejr

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de amifrejr

Antônio Miranda de Freitas Júnior: Licenciado em História pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Escritor e poeta, Freitas Júnior é criador dos SONETRIX, modalidade poética presente em sua obra literária, Bereshit Poética.

SENTIMENTO ETERNO

 
Quando conto essa história que ora jorra
Do zelo inefável do sentimento,
Cultivo o mais doce contentamento,
Ao alento do tempo embranquecido!

Quando enxergo aqueles anos despidos,
No fulgir do novíssimo janeiro.
Haverei de pra sempre renascer,
No florescer desse amor verdadeiro!

Sempre sonho com seu sublime cheiro,
Sedutor, fascinante e sempiterno,
Subordinando o nosso devaneio,
Nas aras do sentimento superno,
Que revigora o nosso amor veríssimo,
No belíssimo resplendor eterno!

++++++
TEXTO PRESENTE NA OBRA
ÊXODUS IN POESIA - ISBN - 978-85-5530-024-0
 
 SENTIMENTO ETERNO

AMO-TE (II)

 
Amo-te inefavelmente,
Com toda a minha ternura,
Sinto o teu hálito quente,
Na nascente formosura.

Amo-te serenamente,
Nesse encanto divinal
Que te exulta ardentemente,
No pecado original!

Amo-te perdidamente,
Na inexpressiva paixão,
Exalto-te em minha mente,
Na forte fascinação,
Que benevolentemente,
A molda no coração.

++++++++
Texto presente na obra ÊXODUS IN POESIA
ISBN - 978-85-5530-024-0
 
AMO-TE (II)

SOL DE ESPLENDOR

 
Vida! Lembranças e contentamento!
Recordo o teu choro no nascimento,
Se fazendo o intenso sol da vida,
E o revigorar da história antes lida...

Recordo do amor que te fez viver,
Da arca que guardou o teu divino ser,
Pra ser o majestoso sol de encanto,
Que reflete o sentimento alvo e santo!

Vivo a tua presença de harmonia,
Encantado pela viva alegria,
Deste pequeno sol a nos brilhar!

Bendita seja a perfeição de amar,
Bendito seja o amor neste amor,
Que te fez nascer, meu sol de esplendor!
 
SOL DE ESPLENDOR

SINCERIDADE...

 
Cauterizo a poesia
Que nem poema é,
Mas acaba tornando-se um poema,
Porque todos o veem como tal...
Talvez se fosse escrito,
Por um nome sem renome,
Não seria assim considerado,
Ou pouco importância teria!

E com tanta importância dada
Ao que não é importante,
O que mais me admiro
É ver-se beleza, onde não é belo!
É ver-se encanto onde é seco!
É ver magia no que é normal!
É ver o que não existe,
E fazer existir,
O que nem era para existir!
 
SINCERIDADE...

MUSA

 
Seus cabelos são cascata,
Nos ombros de pura alvura.
És minha paixão abstrata,
Coroada de brandura!

Nessa ilusão cinzelada,
A sua rara candura,
Dessa musa cintilada,
Em infinda formosura

Oh deusa da minha vida!
Nos lábios, rubra cor.
És a doce prometida,
Que aliança o meu amor.
Hei de admirar-te despida,
Sendo o seu servo e senhor!
 
MUSA

SONETRIX - OLHAR...

 
Olhar... Aqueduto de tu’alma faceira!
Nele, o usufruto da paixão passageira...

Olhar... Mar de ilusão, que eleva a submissão.
 
SONETRIX - OLHAR...

ANJO DE AMOR

 
ANJO DE AMOR
 
Oh casto anjo de sorriso eminente!
Aquece-me com a luz do teu olhar...
Por ti, minh’alma treme ardentemente,
No sóbrio desejo de te amar!

Teu sorriso, vulto do éden perdido,
Numa delicada alvorada fria...
Em teus lábios, beijos almejados,
Nunca concretizados! Poesia...

Na noite, teu rebrilho resplandece,
Com completa carência e formosura!
Seus alvos seios, sonho que me aquecem,
No fascínio de minh’alma impura!

Oh sereno anjo do meu coração!
Sinto o seu perfume em minha ilusão...
 
ANJO DE AMOR

SONETRIX - SOLEDADE

 
Ah, como chorei! Chorei de intensa saudade,
Pelas paixões que exultei em minha mocidade!

Como foi vão! Do amor só sobrou solidão!
 
SONETRIX - SOLEDADE

NUMA TELA DE LED

 
Numa tela de led,
Imagino os poetas antigos
Que escreviam e descreviam o amor
O verdadeiro amor...

Imagino esses poetas,
Que escreviam e descreviam
O amor por uma donzela,
Que se faz raro hoje...
Não o sentimento em si,
E sim a donzela para se amar!

Nisso, faz-se necessário
Buscá-la na imaginação,
Buscá-la na lembrança longínqua,
De um passado que nunca existiu!
E passar a vê-la como uma deusa grega,
Ou uma santa de convento!

Mesmo assim,
Para se adquirir inspiração,
Essa tela fria não ajuda!
A frieza do tempo não ajuda!
As lembranças não ajudam!
Mas o coração ajuda,
Com a sua quentura;
Com a sua ingenuidade,
Que não sabe o que dizer
E o que registrar,
Em uma tela de led...
 
NUMA TELA DE LED

FANTASIA

 
Oh calor intenso, no tenso coração!
Nele, acelero por tua face formosa!
Em sonhos, a minh’alma a beija e a desposa,
Com delicada e subordinante obsessão.

Tu, que em minha mente se faz fascinação!
Tu, que cá dentro manifesta como a aurora!
Quando em sonhos, sua quentura revigora,
Quando acordado, és neve sem excitação!

Se fogueias, por que timidamente esfria?
Se esfrias, por que sensualmente me aquece?
Que passageira e eternizada alegria!
Porque neste meu coração que t’enaltece,
Onde o desejo habita, cresce e permanece,
És a poética seiva da fantasia!
 
FANTASIA

Sonetrix - Eterna Poesia

 
Em minha fantasia, o poético amor,
Que me agracia com o seu suave esplendor...

Terno luzir! por ti o eterno por vir

+++++++++++++
Freitas Júnior - Poeta In BERESHIT POÉTICA - ISBN: 978-85-5530-009-7
+++++++++++++
 
Sonetrix - Eterna Poesia

AOS TRABALHADORES...

 
Como ceifeiros dessa vida,
E alicerces da nação,
Saúdo aos trabalhadores,
Por sua coragem e ação!

E nessa eterna inspiração,
Que provém do criador,
Me volto para o suor,
Transpirado no labor,
Que dá dignidade aos seus,
Por sermos filhos de Deus,
O sumo trabalhador!
 
AOS TRABALHADORES...

CÂNTICO NUPCIAL

 
Como amas-me, oh doce amada envolvente!
Teus olhos brilham através do véu!
Sem malícia, sem mancha, inocente...
Na fonte selada, o seu rubro céu!

Oh vulto castíssimo à meia-luz,
Beija-me com o seu beijo ditoso!
No ardoroso jardim que me seduz,
A terei nesse amor harmonioso.

Tímida, a noiva de faces rosadas,
Transparente em nosso leito nupcial!
Desposo a minha virgem exultada,
Na mesma flama do sonho irreal!

Oh fonte selada, aberta pra mim!
No jardim fechado, o prazer sem fim.
 
CÂNTICO NUPCIAL

TOM DIVINO

 
Oh celso tom de carinho,
Em seu olhar, doce alento!
Que espelha o seu belo íntimo,
E o luzir dos pensamentos!

Nos lábios, vigor intenso,
De uma febril fantasia!
Que eleva o beijo sonhado,
Alvo como a poesia!

Em seu carinho, a brisa,
Desse anjo a me cativar,
Co’a sua formosa essência,
Luzente em seu celso olhar!
Perante este tom divino,
Como não me apaixonar?

++++++++++
Texto presente na obra ÊXODUS IN POESIA
ISBN - 978-85-5530-024-0
 
TOM DIVINO

INFINITO

 
Teus olhos, tão límpidos, tão ternos,
São reflexos da lua crescente!
No esplendor dos seus cristais eternos,
O lírico coração ardente.

Teus olhos, tão lindos, tão excelsos,
Abrasam a vivência fria!
Que espelha esse sentimento celso,
Norteando a febril fantasia.

Teus olhos, tão límpidos, tão puros,
Infundem um brilho sedutor!
Livres, como o voo do condor...

Teus olhos, tão nítidos, tão puros,
São universos vastos de cor!
No infinito: os teus olhos de amor!
 
INFINITO

SONETRIX - SEDUÇÃO...

 
Seduz-me com o amor, com o teu timbre de voz,
Com o teu sensível calor, por entre os lençóis!

Seduz-me no beijo que conduz-me ao desejo...
 
SONETRIX - SEDUÇÃO...

SONDEL - SEMELHANÇA...

 
Na relva do verão,
Interrogo a beleza,
Da vida que s’excita,
Dentro da natureza.

Eis a delicadeza
Do terno beija-flor,
Que voa bem suave,
Com um teor multicor,
Tocando a flor, a vida,
Sem dor ou despedida,
Igual ao nosso amor!
 
SONDEL - SEMELHANÇA...

SONETRIX - LENÇÓIS

 
Lençóis... Copiosa ternura desta vida!
Neles, essa suave quentura acolhida.

Oh lençóis a arder! Eis nós, no envolto prazer...
 
SONETRIX - LENÇÓIS

MENSAGENS...

 
No insano choro da chuva,
Os trovões são emoções,
Que salpica o coração
Scanneado pelo dor...

Plim plins alagam o chão,
Com as folhas secas na rua,
Que viajam sem destino,
Como o meu confuso amor...

É tarde... e a chuva cai,
Com a suave intensidade,
Das mensagens num whatsapp,
De um amor transitório,
Tenso e contraditório,
No convento do meu ser!
 
MENSAGENS...

VIRGEM DA ALVA

 
Serena, aquela alma ardia,
Sobre o leito recostada,
Era a virgem da alvorada,
Cujo vulto resplendia.

Era a rosa, a fantasia,
Sem lamento derramado.
Era o anjo sem pecado,
Que nos sonhos me aquecia!

Era a trilha da virtude,
Residente em nosso beijo...
Nesse leito a plenitude,
Da virgem que tanto almejo!
Que reproduz a amplitude,
Do poético desejo.
 
VIRGEM DA ALVA