https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Cíntia

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Cíntia

Para pensar

 
Que ninguém é superior que outrem, nós já sabemos...
Que a nossa diferença, nos torna igual, também...
Pois se eu acho que fulana é melhor por que tem um rosto mais redondinho que o meu,
Certamente ela me achará melhor, por que tenho a cinturinha mais fina...
E assim acabamos impatados... E o que importa?
O fato de eu levantar e soltar um sorriso, logo cedo...
Me faz superior a eu mesmo, por que quem hoje em dia, tem tempo para sorrir...
Quem consegue levantar no tumulto dos muitos afazeres e dizer Bom dia meu amor?
Desde nova ouço que não sou muito normal, talvez por que teimo em defender que a lua ama o sol!
Ou por me inspirar em uma noite chuvosa, com muitos riscos e muito perigosa!
Mas já que sou considerada diferente, faço juz a isso,
Todo dia quando acordo, abro a janela e digo: Bom dia Sol...
Não é terapia, mas funciona como uma magia...
Outro dia levantei cedo, e não fazia sol...
Então abri minha janela e disse: bom dia, Brisa linda!
Prá minha surpresa, minha vizinha abriu a dela,
Uma senhorinha com seus setenta anos, com a herança de muitos fios brancos na cabeça...
E de lá repondeu: Bom dia para você também, doce menina, não sabia que me conhecia...
Meu dia ganhou uma cor diferente, a voz de um mais velho me soa docemente...
E passei então a contabilizar os sentimentos de outra forma...
A minha alegria, pode fazer diferença a outras pessoas...
Não tenho tempo para conhecer meus vizinhos, mas posso dizer –lhes bom dia!
 
Para pensar

Verso e reverso...

 
Do amor o ódio,
Do perdão a vingança,
Da derrota o pódio,
Do desespero a esperança...

Da tristeza a alegria,
Da festa o luto,
Do riso que contagia,
A solidão em oculto...

Da pobreza a riqueza,
Da cultura a ignorância,
Da humilde incerteza,
O topo da arrogância...

Dos felizes, os infelizes
Do respeito o desrespeito
Dos mais velhos com suas raízes,
Os mais novos com preconceitos...

Da morte a vida,
Do belo o feito,
Da natural partida,
O desconfortável anseio...

Da saudade a presença,
Do beijo? O desencontro!
Da dura sentença...
A liberdade do reencontro...

E meus versos
Feitos para sorrir...
Dos reversos
Que deles veem fluir...
 
Verso e reverso...

Esperando o Trem passar

 
Cai à tarde e eu ainda aqui sozinha,
Esperando o Trem passar,
De longe escuto uma buzina,
Imagino você distanciar...

O sol alegre se despede,
As estrelas surgem de vagar,
Eu parti com a luz do sol incandescente,
Na esperança de te ver no dia em que voltar

Espero aparecer a luz do dia,
Tentando dar lições ao coração,
Suas fotos que sempre trouxeram alegria,
Faz parte da minha triste alucinação...

Aqui estou ainda a esperar,
Sozinha eu e meu interior,
O trem da despedida que não quer passar,
Fazendo me sentir inferior...
 
Esperando o Trem passar

Pequenas reflexões...

 
Quando eu reclamar do meu sapato velho, da minha roupa usada... É bom me lembrar daquele que mesmo sem palavra, com um olhar profundo diz: Eu só quero me esconder da chuva, me cobrir do frio prá viver feliz!
*** *** *** *** ***
Se doar um sorriso, pode curar angústias, ofereça gargalhadas e viva feliz...
*** *** *** *** ***
Um coração alegre embeleza o rosto,
Um coração choroso cicatriza o resto,
Nenhum creme de beleza é mais eficiente,
Que uma porção diária de felicidade e risos da gente...
*** *** *** *** ***
Se o meu coração flui a vida de CRISTO,
É impossível ter algo ruim nele!
*** *** *** *** ***
Um pouquinho de alegria encanta como um jardim florido...
Um pedacinho de tristeza espanta como uma cena horrível !
 
Pequenas reflexões...

Sem coragem

 
A vida não estava muito agradável para Érica, e com todos seus sonhos afogados, desejo de morte era o que não lhe faltava... As lágrimas que sempre lhe acompanhava, estava mais uma vez presente, então com a vontade de resolver de vez seu problema sentou-se em uma pedra e começou a pensar...
Em seu trabalho, ganhava bem e não podia reclamar do salário, enquanto passava frente a pessoas desabrigadas, e lançadas na calçada, sempre buscava uma razão para secar-lhe os olhos e pensar positivamente, mas via-se inútil fazer isso, pois lhe faltava algo na vida que a motivasse... Foi quando viu o Senhor Aurélio, já um senhor de avançada idade, com as roupas sujas e cheirando a urina, quantas refeições ele não tinha feito, quanto frio não deveria ter passado, logo ele poderia ajudá-la.
Chegou bem perto e perguntou-lhe o nome, aquele rosto sujo, onde lhe faltava um dente da frente, causou-lhe medo, mas ela prosseguiu... Ofereceu ao homem um cheiroso pão de queijo e um café com leite quentinho, agora sabia que poderia conversar com o mendigo, que ele lhe daria a devida atenção. E fez-lhe a proposta:

- Quero lhe pedir um favor.
- Mas o que eu poderia fazer a você? Você é quem pode fazer algo por mim...
- Engano seu, o senhor pode fazer muito por mim! Amanhã vou lhe trazer um dinheiro, uma roupa e uma faca, você só precisa enfiar a faca em meu peito e pegar o dinheiro e a roupa, se trocar e sair, pega um ônibus e vá para outra cidade, coloque suas roupas dentro de um saco e leve-as com você, jogue em um rio, sei lá, mas não deixe aqui perto, para ninguém perceber... Você faria isso? O dinheiro é seu, não precisa se preocupar...
-Menina, você está me pedindo para te matar e levar seu dinheiro...
- é eu não vou precisar mais dele, e acho que o senhor vai fazer um uso melhor dele do que eu, já não tenho mais razão e nem motivo para viver, mas não tenho coragem de me matar....
Ficou combinado, e no dia seguinte Érica, levaria toda a grana que recebeu de um mês de trabalho para o senhor faminto...
As horas pareciam não passar, Érica, já estava ansiosa, mais uma vez a chorar , mais uma vez com medo de não ter feito a escolha certa, foi até uma loja de conveniências, comprou uma faca, bem afiada, uma calça e uma camiseta, foi andando vagarosamente, avistou o senhor Aurélio, sentado no mesmo lugar... Quando ele viu a moça, sorriu, muitos anos não fazia algo que lhe rendia uns trocados.... A menina com os olhos inundados repetiu as regras:
- Por favor, tome o cuidado para que ninguém nos veja, não deixe o sangue aparecer em você, e fuja quando eu der o suspiro... Aurélio, antes de tudo, queria te pedir uma coisa.
O velho já estava transpirando, então olhou-a nos olhos em busca da pedido
- Me dê um abraço!
Mais de quinze minutos durou o forte abraço, ambos choraram, e quando um tentava se soltar o outro apertava mais forte... Quando finalmente se largaram, Érica se deitou ao chão esperando se cumprir o combinado...
- Não, não vou fazer isso, pegue o seu dinheiro e vá...
- Mas nós combinamos você disse que faria,
-Isso foi antes do abraço, quando era mais forte a vontade de comer...
-E você não vai ficar com o dinheiro?
-Não sou assassino, não sou ladrão... Mesmo com seu dinheiro você se via carente e sem vontade de viver, por que eu vou querer ele?
-Tudo bem de o Senhor não querer me matar, mas eu estou com o dinheiro e combinei pagar o senhor...
-Filha vá para sua casa, Seu abraço foi a maior riqueza que o mundo todo podia me oferecer, já faz muito tempo que não sinto o que é um abraço e é tudo o que desejo de hoje em diante...
Uma sensação diferente tomou conta do interior de Érica, uma mistura de alívio, e indignação... Eles novamente se olharam e cada um tomou o rumo que deveria tomar...

O maior miserável, é aquele que não tem afeto por alguém, que carece de amor!

Este conto não nasceu por acaso, fruto de uma intensa reflaxão... Mas é só um conto!!!
 
Sem coragem

Sem paixão... Existiria o poeta?

 
O que é o poeta, sem uma paixão...
Como pode sobreviver, sem essa inspiração!
Não dá para entender... Como poderia ser

O poeta acordaria, seria como se o sol, desse uma trégua...
Dormiria, como se os sonhos, estivessem a uma légua,
O céu sem estrelas, ou as estrelas sem um sentido...
O mel sem sabor, ou o amargo de doce, não desprovido!

Haveria sentido, talvez nos olhares das pessoas...
Mas não seria o motivo, Cortez que pro poema se entoa!
Não encontrei nexo, para um momento perplexo...

A paixão, qualquer paixão...
Daria a poesia sua concepção!
Mas sem esse sentimento...
O poeta, perderia seu fundamento!
 
Sem paixão... Existiria o poeta?

Gritos

 
Há gritos que são libertos pela garganta, há outros, porém que saem do coração e a garganta os intimidam alcançar seu destino!
 
Gritos

De Volta...

 
Queria ter palavras meigas,
E ofertá-las aos meus amigos...
Mas as palavras que tenho são leigas,
Podem me designar em perigos!

Colherei flores então...
Majestosas, eu lhes darei...
A poesia deixou-me a solidão...
Quando sem palavras me encontrei!

O bom filho sempre volta à casa do pai,
Aqui então retornei...
E é aqui onde tudo me atrai...
Que a poesia de novo encontrei!

No canto do beija - flor,
No balançar das folhas...
Em cada verso de amor...
E de cada poeta as escolhas!
 
De Volta...

Estou apaixonada...

 
Estou amando, coisa rara de acontecer!
Mas estou gostando, parece que dá para perceber!
Apaixonada como a lua pelo sol...
Tão distantes, mas com o mesmo farol!

Se pudesse falar bem baixinho no seu ouvido,
Contaria o que sinto e você ficaria comovido!
Mas meu sorriso já revela escandalosamente,
Que estou apaixonada loucamente!

Continuo querendo te dizer,
Que estou apaixonada por você!
Será que você vai entender?

Não é nenhum tipo de brincadeira,
Nem confusão da vida corriqueira,
Acredite! É paixão verdadeira!
 
Estou apaixonada...

Feliz aniversario pequenina

 
Feliz aniversário

Pequenina Flor,
Plantada por Deus, para encantar os corações...
Um dia quando Deus te criou,
Presenteou-nos com as mais lindas emoções!

Tudo o que é especial, fica guardado eternamente em nossas vidas,
Passam os dias, as flores murcham, a chuva vem e o sol se vai...
Mas em nossos corações sempre brilha a estrela mais bela e querida,
Que é a lembrança, o que nos traz alegria e esperança, e nunca se esvai...

Por isso hoje, dia lindo com cheiro de festa e alegria,
Ponha teu vestido rodado, e venha correndo ver à luz do dia!
Pule de um pé só, salte de felicidade,
E venha ver o mundo com esses olhinhos sem maldade...

Pegue uma cor do arco – íris, e pinte em seu coraçãozinho,
O amor que é grande e bonito e jamais, poderá se acabar...
Sopre as velinhas de seu bolo contando seus aninhos,
Abrace forte seus papais, para sempre ter do que se lembrar...
 
Feliz aniversario pequenina

Eu Vou...

 
Estou indo, não quero deixar rastros,
Deixo sim a saudade!
Vou sem deixar para trás um pedaço,
Vou me levando sem crueldade!

Vou até onde meus pés deixarem eu ir...
Caminhando até não ver mais o passado,
Vou fazendo ciranda e dança,
Para o triste ficar disfarçado.

Vou correndo até não ser alcançada,
Quando não mais conseguir, tiro as sandalhas pesadas...
Vou despindo de tudo que posso,
Para no final me sentir descansada.

Vou até não dar mais para voltar,
Seguindo o nada até chegar lá,
Quando o presente, já não for mais tão bom...
Vou sonhando com essas asas voar!
 
Eu Vou...

Às Mulheres

 
Corria pelos cantos, e ouvia
Alguém em meio aos prantos, dizia:
E agora! Como vou fazer...
Isso também não sei resolver!

Não acho que um homem não viva bem sem a mulher!
Mas de verdade, Não foi por um motivo qualquer...
Que da costela do homem, Deus a fez MULHER!

A Muito, não era bom que o homem vivesse Só,
E Deus Soberano, não dá ponto sem nó!
Fez para alegria do homem, que viera do Pó!

Em tudo há uma mão feminina,
Um toque especial, com perfume de menina!
Quem não se apaixona por um afago de mulher,
Um meigo sorriso, Quem na vida Não quer?

Às mulheres do mundo, Um beijo no coração...
 
Às Mulheres

Sol vespertino

 
Sol vespertino
 
Sol vespertino, triste por nos deixar?
Logo vem o cristalino das estrelas pra nos presentear!
Enquanto seu arrebol vier nos encantar...
É sua beleza nos mandando repousar!

Amanhã bem cedinho nós vamos acordar,
Com seus raios, sol, virá nos acalentar...
Sol vespertino, triste por nos deixar?
Logo vem o cristalino das estrelas pra nos presentear!

O céu não ficará sozinho, a desbotar...
A lua com seu brilho imenso, logo vêm para acompanhar!
Não se entristeça, não precisa chorar...
As estrelas já estão a se apressar...
Sol vespertino, triste por nos deixar?
 
Sol vespertino

Acabou a poesia

 
Acabou a poesia

Acordei como de costume, preparei o café...
Sentei perto da janela e observei os carros,
Não esperei por suas mãos me fazendo um cafuné,
Por que isso faz parte dos nossos momentos raros...

Arrumei as camas, lavei o chão,
Preparei a janta para te esperar...
Não percebi que havia calos em minhas mãos...
Vi então que era hora de descansar...

Você não veio, outra vez...
Fiquei sozinha, quieta...
Esperando sua presença cortês,
Você faz parte da minha dieta...

Dizem que devo parar de correr atrás do perfeito,
Mas não consigo me imaginar diferente,
Assim em tudo um pouco de defeito,
E agora entendi por que você desapareceu derrepente!

Fiz tudo como sempre, tudo da melhor maneira,
Mas não achei teu sorriso nem chegando bem a beira...
Acabou as rimas, acabou as alegrias...
Por que acabarão-se os versos e toda a poesia!

Um momento sem inspiração
 
Acabou a poesia

Pequenina que se foi

 
Pequenina que se foi

Corpo frágil e pequenino,
Pele rosada de suave amor
Ternura fina, delicada flor!
Só de passagem, sem destino...

Formosa pela beleza do seu sorrir,
Gargalhada tão gostosa de ouvir,
Sublime a leveza de sua mão,
Que de macia influi minha emoção.

Tão pequenina e desprotegida,
Quão areia ante as ondas do mar...
Pelo sopro do vento foi atingida,
Junto à ternura das nuvens foi morar!

Brilhante estrela do meu céu,
Sua pele alva, jamais tocada...
Serena, singela, doce mel,
Silenciada pra sempre sua alma calada...

Quando a dor quiser me fazer gritar, quero usar esses versos na lembrança para consolar...
 
Pequenina que se foi

Faz um silêncio aqui...

 
Faz um silêncio aqui...
Parece que estou só!
Mas um momento assim,
Deixa em meu peito um nó...

Tem tanta gente aí,
Andam rápido levantando pó!
Faz um silêncio aqui...
Parece que estou só!

Rico e pobre lá fora,
Ninguém comigo agora!
Tranqüilo e quieto...
Não ouço nada daqui...
Faz um silêncio aqui!
 
Faz um silêncio aqui...

Correndo sem sair do lugar

 
Não sei ainda onde quero chegar!
Correndo sem sair do lugar...
O vento sopra para todos os lados
E eu fico um tanto quanto desesperado!

Caio na mesmice, falo sem parar
Tento escolher uma ponte para atravessar,
Não sei ainda onde quero chegar!
Correndo sem sair do lugar...

Sinto na pele o frio e as gotas de chuva,
Tremendo quero um vinho extraído da uva...
Sua liberdade, seu álibi é o meu cobertor...
Que aquece minh’alma, pra me aconchegar...
Não sei ainda onde quero chegar!
 
Correndo sem sair do lugar

Amigo

 
Amigos são perolas em meu coração
Que faz aliança da razão e emoção,
Amigos são anjos de sublime asa,
São presentes que nos envolve e enlaça...

Amigos são flores belas,
Que embelezam a vida da gente,
Encontramos poucos espinhos nelas,
E isso que nos deixa contente!

Amigos são sempre bons...
Cabem dentro do coração,
E o maior de todos os dons,
É a essência de sua canção!

Amigos são necessários,
Impossível, não tê-los do lado,
Não há quem diz o contrário,
Que é ruim não ter um amigo amado.
 
Amigo

Quando a saudade...

 
Quando a saudade aperta,
Ai, meu Deus! Eu fico incerta,
Sem sorriso para ofertar!

Quando a saudade bate,
Minha alma todinha se abate,
Calada sem querer falar!

Quando a saudade aproxima,
Abala minha auto- estima,
Sem querer ponho a chorar!

Quando a saudade dói,
O coração fraco se corroi,
Sem remédio para sarar!

Mas quando a saudade passa,
Meu ser disfarça,
Prontinho para amar!

Quando a saudade acaba,
Minha alma ressalva,
A vontade de te abraçar!

Quando a saudade vai,
A dor esvai,
E prometo nunca te abandonar!
 
Quando a saudade...

Aluga-se

 
Aluga-se

Aluga-se um coração, mui calado e dengoso.
É um coração bondoso, nunca deu trabalho, bate em ritmo agradável, jamais parou e parece ter vida longa...
Quer ser amigo de todos, e se acha capaz de colocar o mundo inteiro dentro e estancar as feridas abertas que lhe tem por conhecimento...
Gosta de crianças, é jovem, se dá bem com adultos e tem paixão por idosos...
Acredita no ser humano e respeita a natureza, tem aptidão em abnegar-se, não sabe ser egoísta e está sempre pensando no outro...
Não é poliglota, mas sabe falar a língua universal do amor!
Trabalha sem folgas, e nunca reclamou por aumento...
A única coisa que não gosta é de ficar só...
Ainda tem espaço, aos interessados, Aluga-se Coração!
 
Aluga-se

Como o Amor e o Ódio, que ardem no peito quando os sentimos, assim é a Esperança, quando por um fio o Infinito parece ter Fim, e o que esperamos parece nunca alcançarmos...

~^~ _Flor ~^~