https://www.poetris.com/
Hilda Hilst : Aquele outro não via...
em 10/06/2008 21:10:00 (3584 leituras)
Hilda Hilst

Aquele outro não via minha muita amplidão
Nada lhe bastava. Nem ígneas cantigas.
E agora vã, te pareço soberba, magnífica
E fodes como quem morre a última conquista
E ardes como desejei arder de santidade.
(E há luz na tua carne e tu palpitas.)

Ah, por que me vejo vasta e inflexível
Desejando um desejo vizinhante
De uma fome irada e obsessiva?


**************************************************


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
jessé barbosa de oli
Publicado: 11/06/2008 13:13  Atualizado: 11/06/2008 13:21
Da casa!
Usuário desde: 03/12/2007
Localidade: SALVADOR, Bahia
Mensagens: 334
 Re: Aquele outro não via...
este poema, ainda que navegue pelo oceano
da lasciva sequidão não muito correspondida, me fez regressar á atmosfera dos
cem sonetos de amor,
de neruda, porque ambos, de maneiras
assimétricas, promovem
a celebração do amor carnal.
afinal, são um belo direto de direita
no amor platônico.

Links patrocinados

Visite também...