Poemas, frases e mensagens de FungosAstrais

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de FungosAstrais

o canto dessa cidade sou eu

 
..
..
..
..
..
..
..
quando jovem,
conhecia muito mal
essa porra de cidade...
já cheguei à meia-idade
e ainda sinto saudade
daquela santa ignorância.

redundância dizer:
hoje até faço questão
de dedicar todos os nãos
a essa cidade de bosta
que ainda é, podes crer,
a mesma porra desde então.

doa a quem doer
tá certo, eu me rendo
à puta falta de prazer
que a porra dessa cidade me dá.
não permita, deus, que eu morra
sem que eu rape o cu de lá
 
o canto dessa cidade sou eu

no vastinito arzumal telecinemoso das florisensetas

 
passerilhava pelo vastinito arzumal
telecinemoso das florisensetas
quando um tonitruoso sepulcratial
fez-se mel(bum)odioso em minhas ouvindetas

- vendeta! vendeta! - vociferava o colericupioso
berraviante em indecorroroso altivolilume
pelos ares olodoriferantes do soloaquoso
ahh, isso me fez chegar ao estragocume

aparte: no estragocume fico estragapto
sobe-me pela mediespiluna um odiescarro
que gruda no menterebelo feito um carrimpacto:
quem me identiconhece até tira um bolinossarro

mas voltando ao incauchato casioazucrino
daquele mesmistoante me poliprecauteei
e sem olhar cubundetrás dei um saltisurdino
por entre a casevegemata e verdeagealmei

de lá fiquei a surdinacatar o colericupioso a passar
o dangericioso momento finextinguiu se enfim
e pude voltar a passarilhar pelo arzumal
com a calminquilidade que raizabita meu egoeustar
 
no vastinito arzumal telecinemoso das florisensetas

o meu trabalho é tribal

 
meu trabalho
é tribal

embrulho os
luzentes retalhos
dos vidros temperados
das índias tendas
de alumínio
de um forte apache
lotado de entulhos
num escondido canto
da avenida nove de julho

homenagem aos catadores de entulhos desta minha cidade (São Paulo) que ignora tanto esses trabalhadores
 
o meu trabalho é tribal

sacanagem dos criadores de pássaros

 
o criador de pássaros reconhece facilmente suas várias raças porque os mantêm engaiolados. se realmente amassem esses bichinhos seriam incapazes de diferenciar um canário real de um reles pardal. o que é cor, forma ou canto para quem ama a beleza de presenciar a vida em liberdade? livres, quaisquer raças se equivalem em beleza.
 
sacanagem dos criadores de pássaros

Preste atenção: não existe texto ruim

 
Não existe texto ruim:
Você é que já leu muito.
 
Preste atenção: não existe texto ruim

lengalenga do poeta

 
poema que tem alma
reencarna na vida terrena
pelas rimas sanguinolentas do poeta
siga-se a lengalenga
et cetera, et cetera, et cetera
amém
 
lengalenga do poeta

águas azuis

 
meus olhos ternos e pequenos
encharcam-se, amenos,
em tuas águas azuis...
raros momentos plenos!
 
águas azuis

é muita mudança para a minha cabeça

 
todo dia
muda tudo na minha vida
e eu não percebo

e olhe que a essa hora
ainda
nem estou bêbado
 
é muita mudança para a minha cabeça

os deuses botaram formicida na boca do nosso formigueiro

 
desde que me entendo por gente vivemos em estado de maremoto, terremoto, enchente e furacão - dentre outros menos recorrentes. - já era para eu ter cessado de considerar estes fenômenos condições excepcionais e passar a encará-los como forças telúricas naturais e recorrentes. será que as formigas não considerariam uma espécie de intervenção divina incomum o extermínio em massa do formigueiro por formicida quando sabemos de forma tão natural e antecipada sobre o inexorável destino delas?
 
os deuses  botaram formicida na boca do nosso formigueiro

divagações nada vagas

 
leio.
escrevo com a mente.
aprendo a desmentir
o que o coração sente
só pelo esporte de sentir.
 
divagações nada vagas

classificação da poesia

 
a boa poesia quebra paradigmas. A ótima, forma um enigma. A excepcional, torna-se obra-prima.
A minha varia entre aspirina e estricnina.
 
classificação da poesia

PIRÂMIDE DO AMOR (?)

 
É
Amor
Amor é
Amor é nó
Amor é um só
Amor é um soco
Amor é saco de pó
Amor é um tiro no pé
Amor é um chute no saco
 
PIRÂMIDE DO AMOR (?)

a palavra amor

 
como algo houvesse
entre gelo e zero grau absoluto
que pudesse incendiar a paixão
pela combustão a frio, afirmo:

onde for imprescindível ser dita
a palavra amor
a cada cinco minutos
por lá, em coração, não estarei
 
a palavra amor

o mundo não seja besta

 
Ao mundo, o melhor de mim
Para meu gosto ainda é pouco
E o mundo que não seja besta
E espere o melhor de outro
 
o mundo não seja besta

eu andava bastante perdido

 
andava bastante perdido
pelos caminhos de pedra
suando humores aflitos
usando meus olhos malditos
para inteirar-me das ofertas
das famosas Casas Bahia
e não é que o sofá
tem preço bom
e o couro até que presta?
 
eu andava bastante perdido

quem gosta de sofrer é o poema

 
uma dor que esculacha
que racha as pernas
e você senta
achando que passa
mas não
ela fica lá, doendo,
de pirraça!
brinca a sacana de
esconde-esconde
com seus sentimentos
será que é assim mesmo?
será que aumento?
ou será que esta dor
machuca em mim mais
que em outros peitos?
quer saber?
vou ao cinema
quero ver ação!
quem gosta de
sofrer eternamente
não é o poeta,
é o poema!
 
quem gosta de sofrer é o poema

o estrago que um olhar faz

 
um simples olhar
pode assassinar o sol
 
o estrago que um olhar faz

nem me mandem recados:

 
não estarei mais comigo
estarei atrás da curva da terra
rumo ao mundo dos meus segredos
 
nem me mandem recados:

a minha loucura

 
entendo da minha loucura
até pelas unhas do pé
e ela é extremamente lúcida
e não tem chulé
viajou de marcha-ré até a Prússia
frequenta terreiros de candomblé
e só para rimar com alguma lisura
veste uma túnica em tons de fúcsia
minha loucura é um ato de fé
faz simpatias para chegar à cura
adora viajar a pé
vive a morder rapadura
jamais encontra o que quer
ela tem lá a sua argúcia
sabe que um amor não tem cura
engana a própria dor com astúcia
anda por aí a me foder com ternura
e me descreve do jeito que ela quer
com toda porra-louquice e minúcia
essa aí é a minha loucura freestyle
lucy in the sky with diamonds
que todo mundo que se acha direito
e trabalha como tonto o dia inteiro
bem lá no fundo há de querer
 
a minha loucura

estrela dez milhões de vezes mais luminosa que o sol

 
acabaram de descobrir uma estrela nos confins de uma galáxia que é dez milhões de vezes mais luminosa do que o sol. se há poetas pelas cercanias dela, tenho um pouco de pena. não conseguirão escrever sobre outra coisa.
 
estrela dez milhões de vezes mais luminosa que o sol

Fungos Astrais