https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Cidades II

 
Tags:  cidades    solidão.    betão  
 
Cidades II


Os meus passos, conduzem ao deserto das cidades deslumbrantes.
Um oásis de cimento, e areias escaldantes.
O teu amor, é um redemoinho de quimeras prateadas,
E, eu, sou louco em segui-las.
Tu, que não me conheces, não leves as minhas palavras a sério.


Os meus passos, conduzem ao labirinto das cidades,
Cópias, de cópias, sem original.
Um abismo, sem fim, nem retrocesso.


Os meus passos, conduzem ao individualismo, das cidades decadentes.
Onde os homens perderam a vontade, de ser homens.
Como sombras, caminham junto aos muros de betão,
Sem dizerem uma única palavra, com sentido.
Falam por falar, e nada dizem.
Meras palavras, de circunstância - nada mais.


Uma criança ouviu, e perguntou?
Quem sou eu?
A resposta não se fez esperar:
- és muito novo, para compreenderes o mundo.
- Ah! Já entendi:
- não vivemos no mesmo mundo, e não gostamos desses mundos.
- Ouvi falar d`um mundo onde as crianças brincavam,
e as pessoas trabalhavam,divertiam-se,e não passavam fome.
- Esse mundo, já não existe.

Neno

 
Autor
poesiadeneno
 
Texto
Data
Leituras
946
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
26 pontos
10
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 13/10/2009 16:49  Atualizado: 13/10/2009 16:49
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Cidades II
Olá...
primeiro deixa-me dizer-te que foi um
prazer conhecer-te pessoalmente no lançamento
da colectânea. É bom quando olhando nos olhos
temos a possibilidade de ver o outro lado da
pessoa que nos vai surpreendendo com o que escreve.

Uma vez mais apreciei o teu texto.
Vivemos nas tais cidades despidas, onde os afectos se perdem, se diluem irremediavelmente... nos muros de betão
e nos jardins calcetados pela poluição atmosférica.
Um Abraço, Neno

Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 13/10/2009 16:53  Atualizado: 13/10/2009 16:53
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2695
 Re: Cidades II
Um mundo onde habitam muros de betão
Um mundo onde as crianças sofrem por não terem pão
Um mundo de labirintos, feito de cópias pardacentas a cair no abismo da ilusão

Gostei do poema

Bjs

Matilde D´Ônix


Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 13/10/2009 17:08  Atualizado: 13/10/2009 17:08
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 2699
 Re: Cidades II
na selva urbana perde-se a identidade pela desumanização, o pior é que nos vamos adaptando para sobreviver.


muito interessante este teu poema reflectivo.

beijo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/10/2009 17:44  Atualizado: 13/10/2009 17:44
 Re: Cidades II
Neno,
Muito belo e explorado este lado urbano onde as pessoas perde a indentidades e aí fica assim,uma selva de asfalto...

Mas até aí o amor está!
Parabens por compartilhar!
Bjs
Rosa


Enviado por Tópico
laise
Publicado: 14/10/2009 20:51  Atualizado: 14/10/2009 20:51
Colaborador
Usuário desde: 16/06/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 746
 Re: Cidades II
Neno..entre a selva de concreto...vamos nos adaptando...e cada qual tentando fazer este Mundo...seu lugar para viver melhor...infelizmente
nem todo o caminho que percorremos é de petalas de rosas...e sim de concreto ...

Beijos de carinho de Sane