https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Tristeza : 

No Vazio da Noite

 
 
Si cada día cae
dentro de cada noche,
hay un pozo
donde la claridad está encerrada.
Hay que sentarse a la orilla
del pozo de la sombra
y pescar luz caída
con paciencia.

Pablo Neruda, El mar y las campanas
(Obras completas, III, p. 931)

Open in new window



O dia cai sem espera e triste
como uma despedida sem adeus
A luminosidade se encerra tímida
escondendo-se atrás do anoitecer
que se anuncia num prenúncio de solidão


A noite chega e o dia cobre
com seu manto de névoa
Breu e silêncio se instalam
Na casa vazia e sem rostos


O corpo inerte queda só
abraçado pela escuridão sombria
Olhos obscurecidos pelo medo
na ausência que devora e corrói


Espectro humano que assombra
na pungência de sua dor
Em sua aparência esquálida
onde o amor um dia habitou


A dor da perda se funde
no escuro do ambiente
Nesse ser quase humano
que da vida se apartou


Labirintos da Alma




Iane Mello

 
Autor
Iane Mello
 
Texto
Data
Leituras
788
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 18/10/2009 09:44  Atualizado: 18/10/2009 09:44
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: No Vazio da Noite
Um poema triste e doce, como a saudade sofrida, a solidão definitiva.
A que apenas a poesia refrigera.
Abeçoada poesia, feliz poeta que assim sabe sofrer.

Aplaudo.

Abraço