https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Entre Vidas

 
animei num vale de estátuas
onde julguei ser mais uma diante o vazio
adobe em treva crescia
no mutismo dos meus olhos pétreos.

ao despertar ainda vi
dois tições fixos penetrando,
O meu sangue com a cegueira de abismo
e durante algum tempo perseguiram-me
com aquelas palavras-final:
“depressa morrerás”

procurei outros horizontes que rapidamente
me afastassem das tenebrosas palavras do augúrio
e do mel vácuo favo que escorria
daquele útero de argila com palha seca que me cercavam, repetindo:
“depressa morrerás”

não sei porquê não pude encarnar-me na infinitude
tão distinta que por vezes imagino
ter-me convertido num outro ser
por isso pergunto-me
se aqueles olhos pez, agora meus
não acabarão por cumprir a promessa.


" An ye harm none, do what ye will "

 
Autor
HorrorisCausa
 
Texto
Data
Leituras
770
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
41 pontos
9
0
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Conceição Bernardino
Publicado: 03/02/2010 22:52  Atualizado: 03/02/2010 22:52
Colaborador
Usuário desde: 22/08/2009
Localidade: Porto
Mensagens: 3330
 Re: Entre Vidas
olá HC,

quem escreve como tu jamais morrerá!

beijo

Enviado por Tópico
LuisaMargaridaRap
Publicado: 03/02/2010 22:56  Atualizado: 03/02/2010 22:56
Colaborador
Usuário desde: 19/08/2008
Localidade: Portalegre - Alentejo
Mensagens: 1512
 Re: Entre Vidas
Sem querer plagiar a Conceição, concordo com o que ela diz, quem escreve tão bem como tu escreves será dificil morrer, quem escreve assim é imortal,
Os meus parabéns por tão belo poema

um beijo

Enviado por Tópico
Moreno
Publicado: 04/02/2010 00:24  Atualizado: 04/02/2010 00:24
Colaborador
Usuário desde: 09/01/2009
Localidade:
Mensagens: 3486
 Re: Entre Vidas
a morte é a única certeza na vida. outra certeza existe também, a da infinitude das tuas palavras.

beijo

Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 04/02/2010 01:15  Atualizado: 04/02/2010 01:15
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: Entre Vidas
Entre certezas e dúvidas,
esse poema é fora de série, H.C.!
Aliás, como tudo que escreves.
Sua fã aqui!
Um beijo

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/02/2010 08:37  Atualizado: 04/02/2010 08:37
 Re: Entre Vidas
poetisa horroriscausa

continuo a te-la entre as minhas leituras favoritas. a razão não é necessária aqui. basta este poema.

Abraço

Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 04/02/2010 11:46  Atualizado: 04/02/2010 11:46
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2679
 Re: Entre Vidas
Entre um e outro poema, há a certeza de um renascer constante e outra ainda maior: que é seres uma, em muitas as obras nascidas de outras vidas


Gostei como sempre

Um beijinho para ti


Matilde D'ônix

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 04/02/2010 15:55  Atualizado: 04/02/2010 15:55
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Entre Vidas
Maria João
Apenas te digo (o que é detectável sempre...)
Adoro o que escreves e sou, serei sempre tua
fã incondicional. És daquelas pessoas que sabem
que o caminho é vasto e que não vale a pena atropelar ninguém.
Só os grandes de alma, têm essa percepção!
Bj
Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 05/02/2010 16:50  Atualizado: 05/02/2010 16:50
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 2699
 Re: Entre Vidas/ Todos
grata pelos vossos comentários.

beijo

Enviado por Tópico
Nitoviana
Publicado: 08/02/2010 00:03  Atualizado: 08/02/2010 00:03
Colaborador
Usuário desde: 10/04/2009
Localidade:
Mensagens: 648
 Re: Entre Vidas
Será que viver como se morte nos fosse acontecer depressa não será mesmo um desejo de que a morte aconteça depressa? Uma, consequência da outra, mas a origem poderá estar numa certa falta estímulos mas por tudo parecer efémero!?
Um beijo M joão