https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O Canto de Lilith

 
Sou do desejo a inspiração divina,
dos homens o paraíso e o inferno.
Não há castelos, presídios ou mosteiros
que eu não entre furtiva
e semeie o desejo pleno.

Penetro mentes em doces devaneios,
invado corpos em frenesis supremos.
O oriente conclamou-me religião,
o ocidente devotou-me maldições.

Inspirei Sade em seu clastro,
tentei Cristo e Sidarta.
Não há quem não resista ao meu abraço,
não há quem não sinta o fio da adaga,
e aos conjurosos movimentos de meus quadris
não se entregue ao meu beijo perdido.

Beije-me e terás a morte dos sentidos!


São Gonçalo, 2006.

 
Autor
RomuloNarducci
 
Texto
Data
Leituras
6626
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
shirley
Publicado: 08/04/2010 12:51  Atualizado: 08/04/2010 12:51
Da casa!
Usuário desde: 22/06/2008
Localidade:
Mensagens: 351
 Re: O Canto de Lilith
Belissimo poema, ainda mais pelo tema, sou fascinada por Lilith, e ela rende espetaculares inspirações. Beijos poeta.