https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Como se Reza a Uma Deusa Pálida (Em memória de Christa Päffgen (Nico))

 
Open in new window


Linda deusa de marfim, lúbrica insensatez,
Voz rouca de marujo torpe de run,
Cabelos de mel e olhos de mar.
Deusa nórdica, vinde nos abençoar!
Com teu sopro de hálito embriagado &
tez pálida de anjo decaído &
carne libidinosa cobiçada,
ejaculada nas entranhas
por demônios que vociferavam o Rock and Roll!
Marcha fúnebre em meio à orgia nefasta.
Boemia santa a macular
Sua virilidade de fêmea no cio.
Bacanalle! Doce vida, luzes e projeções
Sobre o corpo que chora pelo número principal.
Fêmea efêmera, fêmea fatal!
Cocaína, quaaludes e haxixe no café matinal,
Gonorréia nas estantes dos supermercados.
Suprimento sadomasoquista em couro e vinil
Estendidos em almofadas de fumo barato.
Ó, deusa nórdica!
Não quebre o seu espelho no limbo astral
Que fomenta nossas ânsias por te venerar.
Ó, anjo-fêmea dourado,
Venha num fluído cósmico,
Na madrugada de meu íntimo
Para numa metamorfose simbiótica
Me amar.


Rio de Janeiro, janeiro de 2004.

 
Autor
RomuloNarducci
 
Texto
Data
Leituras
620
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/04/2010 09:49  Atualizado: 19/04/2010 09:50
 Re: Como se Reza a Uma Deusa Pálida (Em memória de Christ...
NICO figura incontornável do underground que se relacionou com nomes grandes do rock`n roll
e muitas vezes esquecida. Homenagem justa e merecida
Andy Warhol era um visionário
Abraço
Albertos