https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

como morrer assim

 
Tags:  margarete  
 


Aglutinemos nossas almas, talvez possamos dar um pouco de alegria à nossa infindável tristeza.


como morrer assim,
se nem,
a negaçao da vida
é,
uma porta humida nos olhos

mais seremos

peixes entre os coágulos
minusculos da fonte velha

-o palco chamará sempre por ti,

eu
observo-te entao
neste lindo morrer
sem que,
uma mao guarde o choro
que por dentro guardei
esperando-te do outro lado
do tempo.



 
Autor
Caopoeta
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1004
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
5
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Egéria
Publicado: 16/07/2010 22:43  Atualizado: 16/07/2010 22:43
Da casa!
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 293
 Re: como morrer assim
Muito bom este poema e muito a meu gosto!!
Beijo.
Favorito

Enviado por Tópico
cleo
Publicado: 16/07/2010 23:17  Atualizado: 16/07/2010 23:18
Luso de Ouro
Usuário desde: 02/03/2007
Localidade: Queluz
Mensagens: 3857
 Re: como morrer assim
Um belo momento de poesia!
Portanto
Como não morrer assim

...
...
...

A ler-te!

Beijo

Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 17/07/2010 02:47  Atualizado: 17/07/2010 02:47
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: como morrer assim
Saudades de ler-te assim, sempre num emocionar que não tem nome.
Gostei muito, um beijo.

Enviado por Tópico
José António Antunes
Publicado: 17/07/2010 08:55  Atualizado: 17/07/2010 08:55
Super Participativo
Usuário desde: 08/03/2008
Localidade: Portugal
Mensagens: 158
 Re: como morrer assim
Uma morte cheia de vida poética...

Enviado por Tópico
Margarete
Publicado: 17/07/2010 12:39  Atualizado: 17/07/2010 12:39
Colaborador
Usuário desde: 10/02/2007
Localidade: braga.
Mensagens: 1199
 como morrer assim ao caopoeta
o tempo dá voltas que não se chamam. chamo por ti em muitas voltas. levada pelo vento. chamo por ti. sabes que irei morrer com o coração cheio. deixar-te-ei muitos dos meus livros. porque tu sabes o que vale o que escrevo. alguns diários são teus. guarda as minhas memórias como pérolas dentro de corais.

tu sabes.
amanhã é sempre o dia seguinte.

beijo, mar