https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Consoante

 
Muitos vestígios no lembrar,
Fortes evidências do adormecido…

Estive a lembrar a nossa primeira divagação acerca do que interliga o inseparável, e a meta da comunicação nunca saiu do abismo. Mas houve já a sensação de que ela foi atingida. Acompanha-te a minha sensação de que não te percebia a maior parte das vezes, e ao contrário, mas na mesma que era íntimo o que de nós falamos.

Consoante

As atitudes, num e noutro sentido, podem ter razões incompatíveis ao mesmo tempo, pelo menos enquanto encobertas, e a perspectiva nunca me deixa em paz.
Tanto as tuas eram difusas, como as minhas tentavam responder às tuas e não ao que pensava delas.
Pode ser que seja sempre assim, com mais ou menos claridade. Não quero julgar, Só constatar.
Mas isto adiava as respostas, ou as que provavelmente preferia.
As que se sobrepunham eram fruto dum árduo esforço de criação comunicativa, se é que (não) me entendes..
Aquilo a que chamava romantismo era tocado também por este tipo de fruto.
Era uma mistura de ficar com ir com chegar. Era o querer isso tudo ao mesmo tempo.
E no passado ser é igual a ir. Como ser a transmissão, a ligação o ser.


esconder-me de quem me quer ver, mostrar-me a quem não me vê.

 
Autor
Alter
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1147
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.