https://www.poetris.com/
 
Crónicas : 

Não passo sem o Luso

 
 
Não passo sem o Luso.
Não que eu precise de mural para expor a minha vaidade. Não! Nem de jornal de parede para limpar o meu nobilíssimo e anaifado cu. Também não! Mas, verdade seja dita, sabe sempre bem dar uns peidos em lugar público e acusar quem torce o nariz, de falta de respeito pela liberdade da actividade fisiológica alheia.
Agora!... não posso com molas nos narizes! Já se viu! Se eu me dedico de alma e coração a este site, desprendidamente, gratuitamente, como posso tolerar que haja quem passe ao lado do que eu obro ("obro" de obras-primas, bem entendido... está bem, que sejam já em segundo grau, pronto...) sem me bater à porta com os pés e me bater palminhas em ramalhetes e beijinhos!?... Ah, isso não! Sou uma poetusa (poeta+lusa) de respeito! Até sei escrever direito! Chamo os bois pelos nomes, quando calha, com a mesma eloquência com que choro um amor que encalha, quando me apetece mando as rimas para o caralha e até sei escrever sonetos, quando a inspiração não me falha!

...

Humm? (repararam na harmonia das rimas?) Sou ou não sou iluminada?!
Não passo sem o Luso. Nele desovo amores, rancores, ilusões, paixões virtuais e amizades banais. Depeno-me por um elevado bate boca, exercito a minha melhor pena nos baixios das questões, aprendo a ler através, atravessado e nem assim, nem assado, e até já aprendi a fazer CTRLC para multiplicar comentários... porque, já diz o velho ditado, quem espalha sementes, poupa trabalho ao vento!...
Não passo sem o Luso. Mas, por favor!!!, quando eu passar, curvem-se, inferiores carpideiros de palavras derretidas! Venerem-me, favoritem-me, gostem-me, tweettem-me, sharem-me (e cheirem-me), mandem beijinhos, abraços e dentadinhas no cachaço. Escrevam mal, mas escrevam de mim. E eu, claro, cá estarei para agradecer a todos, com um "obrigada.amei". Só para duplicar os comentários, claro, que a minha verve é cara e não dou pérolas a porcos...

 
Autor
TitaRica
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1132
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
7 pontos
7
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/10/2010 21:39  Atualizado: 09/10/2010 21:39
 Re: Não passo sem o Luso
Uma crónica com alguma sátira, mas pouca originalidade.
O sujeito literário aqui retratado é o Zé Luso, perfeitamente identificado por todos.
A crónica que é crónica deve exagerar a realidade, ser ainda mais incisiva. Ferir se possível.
Neste sentido, tendo em conta que o utilizador é recente, e por isso, merecedor de mais uma oportunidade para afiar as facas, fica-me a esperança que numa próxima oportunidade, há-de deixar cair a máscara e brindar a plateia com obra de maior fôlego.
Não deixei de gostar, confesso.
renhenhenhenhe.


Enviado por Tópico
Alexis
Publicado: 09/10/2010 23:46  Atualizado: 09/10/2010 23:46
Colaborador
Usuário desde: 29/10/2008
Localidade: guimarães
Mensagens: 7254
 Re: Não passo sem o Luso para titarica
eu amei.principalmente o termo poetusa.rsrsr... posso tweetar? óóóínc...

alex


Enviado por Tópico
gabrielas
Publicado: 11/10/2010 10:24  Atualizado: 11/10/2010 10:24
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2010
Localidade:
Mensagens: 548
 Re: Não passo sem o Luso
Muito boa esta crónica Tita
#amei# krekrekre

gabrielas


Enviado por Tópico
Propoesia
Publicado: 28/11/2012 13:27  Atualizado: 28/11/2012 13:27
Luso de Ouro
Usuário desde: 14/11/2012
Localidade:
Mensagens: 352
 Re: Não passo sem o Luso
Oh, Rica, que saudades!!! (quer dizer, não é que o que escrevias não tenha ficado no limbo da intemporalidade...)