https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

sai.

 
O motor da minha vontade:
cilindrada incalculável.
Sai. só quero que saias. A minha única funcionalidade
é ser pura velocidade
é nas veias que me corre o combustível
e esta boca metálica vocifera
uma voragem de combustão
O único medo é a demora
e o risco não é o preço da vertigem:
é o sal.
é o único sustento
de uma alma que se alimenta
que se sacia
da própria fome.

 
Autor
tiago_rilke
 
Texto
Data
Leituras
861
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
12
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/03/2011 03:50  Atualizado: 05/03/2011 03:50
 Re: sai.
Peculiar a sua poesia.
Gostei de o ler

bjos

Enviado por Tópico
Jacydenatal
Publicado: 25/03/2011 03:21  Atualizado: 25/03/2011 03:21
Super Participativo
Usuário desde: 09/09/2010
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 115
 Re: sai.
Gostei de sua poesia.Dá o desejo de viver vorazmente.
Abraço
Jacydenatal

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/04/2011 02:23  Atualizado: 09/04/2011 02:23
 Re: sai.
Ola Tiago

Sê muito bem vindo a este espaço

Considero o teu poema bem escrito e muito original. Um bom começo.

Favorito

Beijo azul

Enviado por Tópico
Ro_
Publicado: 12/04/2011 02:43  Atualizado: 12/04/2011 02:43
Colaborador
Usuário desde: 25/09/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 3985
 Re: sai.
Lindo lindo!
Parabéns Tiago!
Beijinho!

*-*

Enviado por Tópico
...Cristina...
Publicado: 19/05/2011 02:59  Atualizado: 19/05/2011 02:59
Da casa!
Usuário desde: 27/02/2011
Localidade:
Mensagens: 249
 Re: sai.
Gostei muito desta força para viver.um abraço

Enviado por Tópico
Ghost
Publicado: 01/06/2011 05:08  Atualizado: 01/06/2011 05:08
Colaborador
Usuário desde: 09/04/2011
Localidade: Lisboa, Portugal
Mensagens: 1822
 Re: sai.
Olá poeta, mais um poema interessante.
Pois retrata o eu poético como se de uma máquina fosse, um robô se tratasse e não tivesse qualquer funcionalidade . Um corpo que tem uma alma que não se alimenta, que vive de si, que vive da fome.
Gostei de o ler.
Abraços e Felicidades.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/06/2011 01:15  Atualizado: 15/06/2011 01:15
 Re: sai.
Intenso é este viver!Parabéns!Abs!

Enviado por Tópico
belarose
Publicado: 15/06/2011 02:35  Atualizado: 15/06/2011 02:35
Colaborador
Usuário desde: 28/10/2010
Localidade:
Mensagens: 9026
 Re: sai.
Boa noite!Tiago

Muito cheio de vida sua poesia...como vc disse cheio de vontade de viver...parabéns! Gostei de ler-te

Beijos

Enviado por Tópico
soldantas
Publicado: 24/06/2011 18:25  Atualizado: 24/06/2011 18:25
Participativo
Usuário desde: 11/05/2011
Localidade:
Mensagens: 20
 Re: sai.
Original e reflexivo. Alimentar-se da fome de viver... Isso me é tão peculiar, rs. Adorei! Bjs, Tiago.

Enviado por Tópico
AdTe
Publicado: 01/08/2011 09:33  Atualizado: 01/08/2011 09:33
Da casa!
Usuário desde: 28/03/2011
Localidade:
Mensagens: 340
 Re: sai.
uma vontade incalculável, numa celindradada que sacia a própria fome da alma!

Muito bom, sim!

Beijinho

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/08/2011 11:43  Atualizado: 01/08/2011 11:43
 Re: sai.
Viver no limite das capacidades..

Gostei bastante.

Um Beijo*

Enviado por Tópico
Felisbela
Publicado: 24/03/2012 21:26  Atualizado: 24/03/2012 21:26
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2011
Localidade:
Mensagens: 2207
 Re: sai.
Olá Tiago!

Gostei muito de ler! Parabéns!

A velocidade é uma vertigem que nos envolve e sacia ao mesmo tempo! Muito bom!

Felisbela