https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A festa final

 
À sombra da oliveira,
Celebro a minha festa final.
Há vinho e dois copos
Seguros pela firmeza da mão.
Entrelaçam-se as mãos
Em curtos e variados focos.

Nossas mãos são cobras venenosas,
Ofuscando as doçuras que dizemos.

Disse ao ouvido uma qualquer coisa,
E seguiu-se a condescendência
Do sorriso que hoje perdemos.
Brindamos não a sorrir mas a rir,
De tanto que há para inventar.

Tu disseste a sorrir
Que eu era o mar,
E que hoje te afogavas
Na doce canção
Que nunca poderia cantar.

E rimos outra vez,
Porque o amor não é nada,
As máscaras são firmes
E tudo é representação...
Somos actores,
E ao fim de contas
No fim do dia
Levamos para casa o riso e o sorriso
E a falsa entoação
De um conto de fadas
Sedento de paixão...

Brindamos à nossa festa final,
Porque beber é tudo o que nos resta
Quando a festa é secreta.

 
Autor
AntonioCarvalho
 
Texto
Data
Leituras
765
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 17/04/2011 04:23  Atualizado: 17/04/2011 04:23
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29440
 Re: A festa final
T6UDO É FESTA PERANTE O AMOR, DEIXOP MEU ABRAÇO.