https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 4 ... 11 »
Offline
AntonioCarvalho
O bom regresso
O bom filho à casa em chamas torna, De tocha na mão E antes da morte grita em bom tom Que não ace...
Enviado por AntonioCarvalho
em 07/06/2013 12:01:35
Offline
AntonioCarvalho
Altar
Jocosa serventia esta De estar No alto do palácio De coroa e avental A falar de Santa Luzia... D...
Enviado por AntonioCarvalho
em 30/11/2012 17:47:31
Offline
AntonioCarvalho
Pouco Mais
Expressões de tédio E medo Envolvem a mente E cedo Corroem as intenções Com que olho para trás Em...
Enviado por AntonioCarvalho
em 30/11/2012 17:45:04
Offline
AntonioCarvalho
Não mora mais aqui
Chega o bilhete No correio da manhã Na ranhura estreita das boas novas Por onde as piores dores n...
Enviado por AntonioCarvalho
em 01/07/2012 01:09:37
Offline
AntonioCarvalho
Mudança
Mudança Dança distante Corpo Fado cintilante Brilho intacto Toque cortante Nos dedos de outra mão...
Enviado por AntonioCarvalho
em 10/01/2012 23:28:21
Offline
AntonioCarvalho
Peixe fresco
Venham a mim, Digam-me vossos preços, Quanto vale para vocês Esta coisa que vos mostro... Corram...
Enviado por AntonioCarvalho
em 04/12/2011 17:26:18
Offline
AntonioCarvalho
Que seja o tempo mais belo
Se foi assim Porque não dizer Até que enfim Que por sua autoria As mais bem ditas feitoriais Se a...
Enviado por AntonioCarvalho
em 04/12/2011 17:18:10
Offline
AntonioCarvalho
Flora
Flora, tantos anos já lá vão Desde que morri em teus braços Na mão e nos teus dedos Que se deslig...
Enviado por AntonioCarvalho
em 26/11/2011 01:51:18
Offline
AntonioCarvalho
Paragem
A pesarosa letargia da estática invadia as ondas do ar, numa ocupação mais fácil que pretendida. ...
Enviado por AntonioCarvalho
em 26/11/2011 01:15:43
Offline
AntonioCarvalho
Relógio Mudo
Que malfadada tragédia Esta da rua sem flores, Onde não eram nem irmãos Nem vistos nem achados Aq...
Enviado por AntonioCarvalho
em 13/06/2011 00:45:14
Offline
AntonioCarvalho
Menina de seu nariz
Menina de seu nariz Escolhe bem a calçada, Pois no dia que escolhe Nunca é a mais amada E pode c...
Enviado por AntonioCarvalho
em 09/06/2011 22:48:52
Offline
AntonioCarvalho
A ciência sou eu
As opções sociológicas são da mais elevada importância. Neste campo, a auto-experimentação social...
Enviado por AntonioCarvalho
em 06/05/2011 11:54:57
Offline
AntonioCarvalho
A festa final
À sombra da oliveira, Celebro a minha festa final. Há vinho e dois copos Seguros pela firmeza da ...
Enviado por AntonioCarvalho
em 17/04/2011 02:20:09
Offline
AntonioCarvalho
O segundo
Hoje deito fora o poema que te fiz, O segundo dos que nunca comecei; E se digo que o faço, feliz ...
Enviado por AntonioCarvalho
em 24/03/2011 00:24:46
Offline
AntonioCarvalho
As lições de ética de um morto
Dá muito mais gozo ver um animal cair devagar do que o arrumar com um golpe. Esperamos que ele ce...
Enviado por AntonioCarvalho
em 10/03/2011 01:13:22
Offline
AntonioCarvalho
Duzentos quilómetros depois
Sopra de oeste o vento, Vento enrolado e traiçoeiro. Meto as mãos à frente para poder Distinguir ...
Enviado por AntonioCarvalho
em 01/02/2011 02:13:48
Offline
AntonioCarvalho
Meu amigo vampiro
Amigo vampiro Nesta triste hora te escrevo E se te descrevo é por querer. Chupaste veias secas D...
Enviado por AntonioCarvalho
em 10/01/2011 14:30:14
Offline
AntonioCarvalho
Um plátano
Observei umas disposições assimétricas acessíveis à minha visão. Folhas de plátano aleatoriamente...
Enviado por AntonioCarvalho
em 28/11/2010 01:52:38
Offline
AntonioCarvalho
Pelo chá das cinco
Trincheiras ardentes Queimam corpos trespassados Pelos gases indolores, Matam os cadáveres potref...
Enviado por AntonioCarvalho
em 24/11/2010 00:30:39
Offline
AntonioCarvalho
Canteiros e cantinhos
Às farpas, a minha sentida homenagem: Sem elas não se trespassava Nem se conheciam fronteiras Ho...
Enviado por AntonioCarvalho
em 08/11/2010 01:06:42
(1) 2 3 4 ... 11 »