https://www.poetris.com/
 
Acrósticos : 

NOVA FAINA

 
NOVA FAINA

Alcateia de ruas
nas fugidias noites dos sentidos
os velhos mareantes amigos
bulindo sons de velas puras

na mesa do vento lento
a deusa nua está perto
sereia urbana em rio desperto
ri e chora no meu lamento

percorro sem saber da seiva matinal
o ruído curvo do céu desfeito
da deusa o quente ventre inicial
no lençol abrasante do meu leito

mulheres amantes de deuses não pensados
outrora luas agitando guitarras
dedilho o som longo ao longo das amarras
cimitaras de guerras em olhos amados

e os lobos percorrem as vielas da noite
já sem ruas e mareantes
a sereia fugidia abraça o rio
e queda no bulício dos amantes
deixando-me liberto de sentidos.

É tempo de nova faina...

FERNANDO MANUEL PEREIRA
sempreemluta.nireblog.com
etcetal.blogs.sapo.pt



Open in new window

 
Autor
Fernando M. Pereira
 
Texto
Data
Leituras
680
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Juli Lima
Publicado: 27/09/2007 11:55  Atualizado: 27/09/2007 11:55
Colaborador
Usuário desde: 02/08/2007
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 993
 Re: NOVA FAINA
Bom dia! Reflexivo e metafórico versejar. Aplauso! Bj poesia