https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Medos

 
Não me atinge a luz certa
Nos meus olhos
Não sei como franquear
A verdadeira essência
Dos meus medos

Esfinges desprovidas de um corpo
Presas fáceis do destino
Onde a luz se consome
Para nascer de novo
Nas novas fragrâncias

(Incensos do meu norte
Adereços do meu sul)


Não me cinge a mão certa
No meu corpo
Nem sei como fazer
Do entardecer
Uma pequena partícula
A madrugar na noite
 
Autor
ÔNIX
Autor
 
Texto
Data
Leituras
534
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 09/05/2011 14:23  Atualizado: 09/05/2011 14:23
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: Medos
São ás esfinges de um escrever, que maravilha de poema deixo meu abraçO

Martisns

Enviado por Tópico
Edilson José
Publicado: 09/05/2011 20:49  Atualizado: 09/05/2011 20:49
Colaborador
Usuário desde: 12/04/2008
Localidade: SP
Mensagens: 5591
 Re: Medos
Belo poema Dolores!
Beijo!
Edilson