https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Paixão : 

POSSE

 
Num tempo que ficou parado

No desalinho do cálido leito

Num espaço por nós limitado

Nossos corpos se dão febris

Em abandono total o meu ser

Bebe em ti a sequiosa loucura

Tua vontade aguda de me ter

Suor resvalando pelos quadris.



Desapossados já da candura

Solto o grito do meu prazer

Nas sinuosidades do teu peito

Nossa respiração jorra arfante

Sufoca os arrebatados beijos

Nossas mãos colhem segredos

Na alvura da pele escaldante

Na entrega tórrida dos desejos.



Ofegantes e de corações ledos

Longe de ter acalmado a avidez

Nos quedamos ébrios e quentes

Após a fúria da posse enleados

Prà entrega mais uma vez.


Julieta Ferreira

 
Autor
Julieta Ferreira
 
Texto
Data
Leituras
856
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.