https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens sobre sonetos

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre sonetos

Por Trinta Dinheiros

 
Por Trinta Dinheiros
 
Por Trinta Dinheiros
by Betha M. Costa

Vendi a minha vaga no paraíso,
Aluguei morada duplex no inferno,
Maculei a ferro e fogo meu sorriso,
E de lágrimas congelei no inverno.

Lancei no vento tudo que preciso,
O ser eterno, eu risquei do caderno,
No dourado espelho vi-me Narciso,
Vivi tudo do mais belo ao moderno...

Acima da montanha consagrada,
Tropecei num anjo feio, furta-cor,
E escorreguei sem fé pela estrada...

Três vezes neguei-me acompanhada,
Até entregar meu amado Senhor,
Por reles trinta dinheiros... Mais nada!

Imagem Google
 
Por Trinta Dinheiros

Celebre a Vida!

 
Celebre a Vida!
 
Deixe fluir todo o mau sentimento,
Segredado nas fendas do coração -
Libere às energias, toda emoção
Que traz o negativo pensamento.

Alivie as angústias do teu sofrimento,
Às tristezas, liberte-se da solidão,
Faça uma prece a Deus, uma oração,
Ele lhe dará o que precisas; o alento.

E no alento, o puro bálsamo do amor.
Portanto, alegre-se, celebre a vida,
Dê aleluia aos céus, és um vencedor.

Mantenha as chamas da fé aquecidas
Que fluirá de ti um cântico de louvor
E nele as boas vibrações vertidas.

Elias Akhenaton
“Eterno aprendiz, um peregrino da Vida”
 
Celebre a Vida!

Falando de amor - II

 
Preciso falar de amor...
Preciso soltar esta dor
que agora sinto,
por causa dele: o amor.

O amor é bom e ruim,
mas não deveria ser assim.
Às vezes, quando ele acontece,
a gente entristece.

Infelizmente o amor
rima com dor...
Será isso uma provocação?

O amor não é uma ilusão...
O amor é um invasor,
que ocupa nosso coração.

A.J. Cardiais
12.07.2019
 
Falando de amor - II

Soneto de Natal

 
Soneto de Natal
 
Que neste natal a melodia do amor
seja cantada nos quatros cantos
do mundo, com notas de louvor,
entoadas com ternura e encanto.

Que o eco desta sublime canção
fique no ar na luz de Jesus menino,
Irradiada do seu berço divino,
trazendo momentos de reflexão.

Reflexão de um acontecimento
angelical que marcou com magia
a chegada do seu nascimento.

Levando a humanidade a acreditar
no amor, na paz, esperança e alegria,
contagiando-nos com o ato de amar.

Elias Akhenaton
 
Soneto de Natal

Fotografia da alma

 
Fotografia da alma
 
Eu não escrevo poesia...
Descrevo sentimento.
Faço uma “fotografia”
do meu momento.

Às vezes eu posto
uma trova vazia.
Outras vezes eu posto
um soneto sangrento...

Quando estou “por um fio”,
posto um poema arredio
cutucando o regimento.

Quando estou inspirado,
posto um poema bordado
com chuva, sol e vento.

A.J. Cardiais
imagem: google
 
Fotografia da alma

Soneto d'alma

 
A minha fortuna
são meus poemas.
Eles são pequenas
pepitas de inspiração.

Para algumas pessoas,
poemas não valem nada.
Mas para mim são estradas
pontilhadas de emoções.

Disse Fernando Pessoa,
que tudo vale a pena,
se a alma não é pequena...

Então não é à toa
que eu escrevo poema:
a minha alma voa.

A.J. Cardiais
19.08.2018
 
Soneto d'alma

Rascunho

 
Rascunho
 
Estou procurando algo
para passar o tempo...
Algo que me livre
de certos pensamentos.

Solução: vou dizer
o que sinto. Distrai pensar
no que vou escrever
e no que vão achar.

Mas, o que vou dizer?
Falar das horas que são?
Falar do céu ou do chão?

Falar desta tarde macilenta?
Quem é que aguenta
tanta enrolação?

A.J. Cardiais
Imagem: Google
 
Rascunho

Faz de conta

 
Faz de conta
 
Faz de conta que
alguém tem que vencer
para não ficar os dois perdidos;
para não ficar os dois vencidos...

Se você está bem,
então siga seu caminho...
Deixe-me aqui, sozinho,
enfrentando minha realidade.

Deixe-me sentir saudade.
Não posso ficar como seu amigo,
pois corro o perigo

De nunca me libertar.
Vá... Vá viver, vá amar...
Deixe as lembranças comigo.

A.J. Cardiais
16.11.2011
imagem: google
Do livro Poeminhas Açucarados
 
Faz de conta

Pensamentos & ideias

 
Pensamentos & ideias
 
Penso muito quando
estou olhando
da minha janela...
Penso na vida e nela.

Uma ideia forte me abraça,
depois me deixa ao léu.
Uma nuvem passeia pelo céu,
antes que se desfaça.

As ideias ganham o espaço
quando não viram um traço,
um risco, um rascunho qualquer.

A ideia é como uma mulher:
às vezes não demonstra que quer,
mas fica esperando um abraço.

A.J. Cardiais
23.02.2014
Imagem: A.J. Cardiais
 
Pensamentos & ideias

'Love's Theme' (Sonetos,Poemas e Outros... Série Produzida no Minho - PT)

 
Portucalidade e Brasilidade...

Agradecendo sempre... Posto que a gratidão é a memória do coração.

Portucalidade e Brasilidade são os laços que não se pode esquecer... A cultura entrelaçada que nos corre as veias.

A miscigenação e a grandiosidade dos desbravadores,
Conquistadores, Navegadores... A riqueza da lingua Portuguesa... A luta de portugueses e brasileiros pela liberdade...
O respeito a esta liberdade...

A fraternidade entre os povos lusos, as suas diferenças, as suas riquezas, seus patrimônios e suas partilhas...

O perigo da ameaça global requer mais que nunca que estes povos se redescubram mutuamente, porque são fortes, teem origens enraizadas em regiões que podem ser uma esperança de solução para os problemas do meio ambiente...

Esta é e será sempre uma riqueza desses povos determinados povos irmãos de pátrias e frátrias, assim como um dia começou... Assim como deve sempre continuar...
Bastar pensar, ver com a razão e o coração e acreditar.

As dificuldades atuais, cercam o planeta e nos fazem reféns... Agora, mais que nunca há necessidade de nos unirmos cada vez mais...

Não se abandonam as raízes. Cuidamos delas para que haja estrutura e sentimento fortes a mover e abraçar com ternura a lusofonia mãe, nação espalhada e reunida num voo de consciência.

Portucalidade o que é?

Brasilidade o que e?

Sitios comuns entre um oceano... Oralidade comum, monumentos... Pessoas semelhantes e tão diferentes, num berço original...

Patrimonio cultural da humanidade no Brasil e em Portugal, que me dizes quando nos olhas?
Que nos falas de tua história rica e airosa?
Dos teus mares que se turvaram com o sangue de teus heróis.

É preciso valorizar este passado de sofrimento,derrotas e vitórias... De erros e acertos, pois destes ingredientes se faz a história, pois nos revela todo o conteúdo de paixão que move os grandes feitos da humanidade.

Falas muito e de tudo... Arte que toma conta, invade o peito nas heranças majestosas nas técnicas de manufaturas de artefatos de valor, poesia, pintura, música e a dança, o esporte, tecelagens,cerâmicas, bordados, o teatro em todas as suas manifestações chegando até as modernas tecnologias,as culturas agrícolas e tantos elos maiores e diversificados, impossiveis de quantificar de detalhar...

Tudo num doce e majestoso entrelace em forma do sentimento mútuo, sentimento de reciprocidade entre estas nações.

Povos sofridos, que não perdem a imponência porque vivem no presente este passado de glória e sabe que berço é tudo, portucalidade é berço português, brasilidade o sentir deste berço de forma única e derivada, sentindo o abraço do aconchego, da disposição de continuar a fazer história... Não desistir de lutar...

Portugal amigo, portugal querido. Te abraço e te envolvo com o manto que nos destes mesmo antes, e até, na declaração da independência. Independência amparada durante os seus primeiros passos...

Assim te envolvo com um dos mantos de tua glória, o nosso símbolo maior de brasilidade, a nossa bandeira nacional brasileira, colorida como é o Brasil, colorida como são as nossas relações e nesse abraço, que é história, está contido as cores de tua bandeira, signo maior de tua grandeza...

Esta beleza que é fruto de sentimento de inconformismo diante das adversidades, que nos cercam. Mas que nos fazem mais fortes e assim sendo se torna, quiçá mais concreto, exaltando mais beleza no teu panorama doméstico paisagem que fala aos brasileiros e ao mundo, a toda hora, da capacidade de transformação e da força das raízes culturais de um povo-nação.

Portugal e Brasil, aquele abraço...

Feliz Natal a todos indistintamente.Votos de um Ano Novo de Paz, renovação espiritual e prosperidade.

Ibernise.
Indiara(Goiás/Brasil) 19.12.2009.
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

'Love's Theme' (Série Temática Inédita)

1.
PENSAMENTOS

sssssssssssssssssssssssssssssss

Sendo puro o amor… Ao ser tornado conceito vazio, mesmo sem verso, nem poesia até o vice… Versa.

sssssssssssssssssssssssssssssss

…Espera mais prazer aquele que ousou...

2.POEMAS

I
AMOR EM TANTOS VOTOS

Meu amor …

Somos duas almas que têm
Fome e sede, assim são todas as almas…
Mas não são todas, que se alimentam
Não são todas, que se contentam…

Neste contentamento
A minha, completa a tua,
E a tua, insaciavelmente,
Contenta a minha.

Meu amor...

Nossas almas nos contam histórias
Do que falta, do que sobra...
Histórias de raspas e restos
De dor e felicidade,
Compondo a singela receita dos afetos.

Meu amor…

É só isso…
Porque é o que nos faz nós,
De nós mesmos,
Emoção que contem o mundo todo
Mas cabe apenas em nós dois…

Amor meu,
És…

Quando
No intervalo de cada revisita,
De cada reconquista,
Adentras aquele espaço onde
Te faço meu
E tu me fazes tua,
Onde somos pontos
Sem possibilidade de encontro
Em paralelas ruas...

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 28.11.2009.
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.
…………………………
II

DESEJO E ESPERA

Corpo me falas de coisas que quero apreender
Ouvir, praticar… Contigo…
Corpo
Me falas das coisas que estavas a me pedir
Quando insistias em não me deixar dormir…

Fala-me corpo…
Fala-me, segue-me, extravasa-te
Dentro de mim…
Corpo…

Fala-me
Fala-me através de coisas que lhe estão a ser atendidas…
Fala-me do teu prazer… Diz-me corpo.

Corpo…
Lembra-te que és corpo
Dócil, receptivo, manhoso… Curioso.
Não te quero arisco, corpo...

Corpo amistoso
Receptivo, sensível ao toque,
Lembra-te…
Corpo… Pele tem memória
Apele a inocência e ao vício
A cada ato de satisfação…

Lembra-te, não esquecer as vezes é tão providencial
Tão importante sensual, sentimental…
Em cada nicho que és tocado,
Burilado, estimulado,
Deves dar mais prazer aquele que ousou,
Pois aquele que ousou
É mesmo isso que espera…

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 15.12.2009.
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

.......................
III

FALO… LEMBRA DE MIM?

Aqueça as minhas mãos…
Se acaso não possa
Aqueça minhas falanges…

Mas se ainda assim não puder,
Pela premência de algum valor,
Corte as minhas unhas…

Viverei a natureza intervalar desta espera
Na certeza que me tocará de novo…
E sempre…

Unhas sempre crescem…
E cada vez que crescerem,
Meu coração estará aquecido.

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 13.11.2009.
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

.......................................

SÉRIE SONETOS

I

SENTIR POESIA

Não te sentindo a palavra,
Resta o pensamento convertido…
Em meio ao labor correspondido
Entre teus canteiros e lavras…

Lavrador de idiomas, deflagras,
Um cultivar de terras compartido
Conflito e prazer em que decido
Aceitar o que a mim consagras.

E te escuto a declamar poemas
Nas prosas dizes teus versos
Nesta saga que te faz oral poeta

E tua mudez me fala de temas,
De coisas tuas, pele re_versa
Carinho e zelo na medida certa...

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 21.11.2009.
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

……………………..
II

RISO TOLO

No meu olhar um talvez
A  cada passo o ingresso...
Adentras a forma reversa.
É sempre a primeira vez...

E te aprovo em tua altivez
Te admiro sem recesso
Como parte do processo
No momento à flor da tez...

Vaga de saudade que vence
As luas de agonia e graceja
Riso tolo que cansa e senta,

Atinge o alvo que a ti pertence
Em um corpo que a ti deseja,
Numa alma que nos acrescenta...

Ibernise.
Porto (Portugal), 06.12.2009
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

……………………….

III

ESTRANHA FIDELIDADE

Faço sexo com alguém imaginando
Que faço amor contigo. Hiato de união...
E quanto mais me ligo nesta ilusão,
Na recompensa da paixão sigo amando...

Em cada toque e cada beijo, o quando...
Minuto eterno que me toma em turbilhão
Que me emudece, ao querer, na eleição
Gritar teu nome sem noção de comando…

Quero fazer de tudo e me entrego tua
E nada me sobra, mais de tudo espero
Porque vejo este sonho como doutrina

Em que cada gesto nosso é oferta nua
Entregue ao teu toque que tanto quero,
Cio concreto que nos invade e vaticina…

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 24.11.2009.
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

………………………

IV

UMA DAMINHA...

Uma dama é ponta de lança,
Preconceito que fere o peito,
Âmago de delicado conceito,
Que sempre adia a confiança...

Ela é, se estiver só, uma trança
De tantos nós com brilho e defeitos,
De todos que se dizem direitos...
Fraternidade que não paga fiança…

Tantos tortos, e uma dona só,
Que é menos, se estiver sozinha,
Sem social valor, sem dignidade…

Na base da solidão ela é o nó,
Nada vale uma simples daminha,
Mas arrefece toda a sociedade.

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 18.11.2009.
Núcleo Temático Filosófico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

……………………….
V

SOCIAL BUMERANGUE

Subterrâneos da sociedade escondem, consolam
Nos subníveis, tantos desencontros acontecem
Tantos encontros amanhecem, não anoitecem
Dias e noites de encantos que escapam, rolam…

Em tantas teias emoções animam, assolam
Em fatos melancolia e coragem se aquecem 
Por tantas cenas de rir e chorar se esquecem
Nem sabem porque já não riem ou se isolam…

Orienta-se pela intuição, pelo ambiente, clima...
Numa energia que acrescenta e mais arrasa,
Em um saber de mentira que não se enquadra...

Aparentes posições, que não se vêem de cima,
Icebergs de alva carapaça, fluidez  que não vaza.
Sociais sombras que assombram nas quadras…

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 24.11.2009.
Núcleo Temático Filosófico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

...................

VI

A NAMORADA

Viva vida, és minha, namorada…
Estado pleno de tantos sonhos
No acalanto em que me ponho
Desejo maior que me faz morada.

Menina travessa em faces coradas
Olhos em brilho, ares de calma
Abraço e promessa de minh'alma
Quase sempre me falas calada…

Dizes: _És colo de meus devaneios.
Digo-te: _És musa que me arrebata
No calor do toque do fogo que ateias...

Momento que escapa e me acatas,
Quando em cada evento te anseio,
Doo o amor que aceitas e descartas…

Ibernise
Barcelos/Minho/Portugal, 06.12.2009
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

...........................
VII

DOCE  MANANCIAL

Adentro aos subníveis das águas
Entremeados cristais de primaveras...
Em tantas maravilhas e quimeras,
Corredeira que em oceanos desagua.

Caminhos não navegáveis, esperas...
Panorâmicas travessias, divertidas...
Desenhos vivos  em telas compartidas,
Bolhas que sobem e descem, esferas

Que se desprendem e respiram...
Pueris movimentos de subir e descer
Nesse espetáculo, coisas destilam...

Cenário que nos compraz agradecer,
A verdade dos que em nós acreditam,
Tal réplica de ventres a nos converter…

Ibernise.
Barcelos/Minho/Portugal, 06.12.2009
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

.........................................
VIII

IGUAL A PRIMEIRA VEZ...
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=106176

IX
DESEJO DE HUMILHAÇÃO
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=106237

X

SUPREMO SEGREDO
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=106506

XI

ÉS MINHA...
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=106663

XII

OLHAR PARA MIM...
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=106810

XIII

ZELO MAIOR
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=107129

XIV

SUSPIROS DE AMOR
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=107219

XV

OÁSIS DO DESEJO...
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=107339

XVI

PRA NÃO ESQUECER
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=109476

XVII

OLHAR EM RECREIO
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=109477

XVIII

SENTIR É COMPARTIR
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=109478

Ibernise.
Indiara(Goiás/Brasil) 19.21.2009.
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.
 
'Love's Theme' (Sonetos,Poemas e Outros... Série Produzida no Minho - PT)

Rogativa

 
Rogativa
 
ROGATIVA

Oh! Pai, criador do criminoso e do justo...
Fazei dessa terra, esfera incandescente
Sob os influxos do amor, eternamente
Morada da paz, aconchegante arbusto;

Teu é o ilimitado poder, eterno, augusto
Esmeraldina estrela de luz clemente,
Dissipando os negrumes, inda pungente,
Dos corações que buscam o mal vetusto!

Porquanto, confiante, aqui me vejo abrindo
Meu coração, das agruras emergindo,
Em meio à prece fervorosa e compassiva

Pelo lar terreno, pelos bilhões de irmãos...
Entregarei, humildemente, em vossas mãos
As espinhosas flores dessa rogativa.

Álvaro Silva
 
Rogativa

Mata-borrão do Amor

 
Mata-borrão do Amor
by Betha Mendonça

Vem calado, achega-te e me beija!
Apazigua a chama que me incendeia,
Para que com olhos de amor te veja,
E caia como tola presa em tua teia...

Carente e licenciosa prisioneira,
Além do limite dos teus abraços,
Seja eu maga ou malvada feiticeira,
Para deixar no teu corpo os meus traços.

Livre da teia, mágicos poemas em penhor,
Que eu escrevi na tua mui amada presença,
Queimaram-se e perderam o valor...

Estrelas decadentes e sem cor,
Caíram ao solo da tua indiferença,
Como mata-borrão do nosso amor.
 
Mata-borrão do Amor

Lua Branca

 
Lua Branca
by Betha M. Costa

Eis que navega no céu a lua nova!
Sua beleza até as nuvens cativa,
Altiva a face que do amor é prova,
Trova, poesia divina e introspectiva.

Tão bela, amiga, antiga e ativa,
Dona do cavaleiro e sua espada,
Que enlaçado ao coração da sua diva,
Zela a eterna e etérea namorada.

A cada noite clara enluarada,
Em que beija o céu com sua visita,
A Terra banha com luz orvalhada.

Ah, lua branca tão encantada,
Tua presença cria a expectativa,
Da gente nessa vida ser amada!...
 
Lua Branca

Experimentações

 
Não... Não quero inventar...
Colocar o poema
de pernas pro ar,
não vai adiantar...

Assim não consigo passar
minha emoção...
O poema não é uma construção... (ou é?)
O poema é um sentimento. (ou não?)

O mais certo é: cada poeta
que faça o poema
como quiser...

Eu sigo minha linha,
você segue a sua...
E a poesia continua.

A.J. Cardiais
06.09.2015
 
Experimentações

Fome de poetar

 
Estou deitado na cama
lendo um livro de Waly Salomão,
enquanto o sol me queima
sem comiseração.

O sol invade a janela,
invade meu coração,
invade eu, invade ela...
Comete o fenômeno da invasão.

Então eu asso um soneto,
enfiado num espeto,
pra saciar a fome de "poetar"...

Se Waly me deu assunto,
pego as palavras e junto,
tentando me comunicar.

A.J. Cardiais
28.07.2015
 
Fome de poetar

Ou ficar a pátria livre...

 
Ou ficar a pátria livre...
 
Quem sacrificar-se-á por ti,
terra adorada?
Seus políticos são uma piada
nada engraçada...

Se gritarmos: pega ladrão!
Todos saem em disparada.
Quando chega a eleição,
é uma verdadeira palhaçada...

Quem te libertará, terra dourada?
Dos seus tesouros,
já não resta quase nada.

Seus filhos legítimos,
estão dormindo nas calçadas...
O que será de ti, terra adorada?

A.J. Cardiais
13.07.2007

Obs: Do Hino da Independência
"Ou ficar a pátria livre, ou morrer pelo Brasil"
 
Ou ficar a pátria livre...

Tempestade

 
O tempo me castiga em seu deserto paradoxal
Me fazendo olhar teus olhos tristonhos
Refletidos nos relâmpagos de uma tempestade infernal
De longe vejo a chuva levar os teus sonhos

Procuro ficar em silêncio, parecer normal
É difícil aceitar a derrota desde castigo sem igual
Mas o grito que habita meu peito liberta meus temores
Me faz ouvir teus apelos e sentir tuas dores

Que te domina por inteira cruelmente
Como uma faca, uma lança, um punhal estridente
Que te atravessa a alma dolorosamente

Preciso livrar-me dessas amarras urgentemente
Para puder salvá-la de toda essa angustia, de todo esse mal
E saber que foram minhas mãos que lançaram este punhal.

Sandro Kretus
 
Tempestade

CINZA

 
CINZA
 
Tão pouca é a esperança que me sobra,
a cinzas me reduzo, culpa minha,
nem a mágoa do sino que me dobra
me serve a pouca força que me anima.

Jejuo há tanto tempo de vontade
de ser vela enfunada ao vento acesa,
que morre a chama débil que me arde
e só me sobram cinzas sobre a mesa...

Espalhem-mas aos mares e às mãos cheias,
aos ventos que se deitam sobre lírios
tingidos pelo sangue destas veias!

Espalhem-mas nos rios que cantei!
Não me façam libelo de concílios
-sou tão pouco, só cinza que restei...

.
 
CINZA

A sensação de estar vivo

 
A sensação de estar vivo
é assistir o voo do urubu,
degustando um pedaço de sol
recheado de brisa.

A sensação de estar vivo
é estar amando
e observando
o desenrolar de tudo...

Viver é um estudo
muito delicado
e cheio de conteúdo.

Para a sensação ficar completa,
é só manter os sentidos
em estado de alerta.

A.J. Cardiais
08.08.2015
 
A sensação de estar vivo

Soneto Eletrofobia

 
Soneto Eletrofobia
 
Turbinas são feitas de desejos engarrafados
Grandes hélices cruzando sonhos deformados
Carne cortada ao meio liberta a Alma
Redemoinho da palavra fluída.

Na Fabriqueta da contra-máquina tem duas Placas:
“Proibido jogar chaves de grifos (e Afins) na Engrenagem!”
“Proibido Gerar Lixo no Recinto!”
Não se para o tempo, Maquina burra.

Flua nessa pangeia ilusória
Reflua como cosmo que se extingue
Para alguns é a cadeira elétrica que julga.

Indefeso, Julgaram-te forte e sábio
Criança replicante dentro do relógio injusto
O futuro lhe brilha nos olhos com raiva

Do livro sonetos Reunidos
 
Soneto Eletrofobia