https://www.poetris.com/
 
Textos -> Amor : 

Lixeira do Amor

 
Tags:  amor        lixeira  
 
Tentaste escrever o amor no papel que balanceava no teu bolso enquanto andavas.
Entre riscos, palavras impercebíveis, corações nos quatro cantos da folha, tinhas umas quantas ideias sobre o amor que não faziam qualquer sentido, sabias que existiam e que era fruto de algo que germinava em ti, mas não fazia sentido, o amor não faz sentido.

Amachucaste a folha, voltaste a repetir a sensação de escrever, mas desta vez estavas um pouco irritado, as palavras deixavam, aos poucos, de fazer o sentido que querias e faziam nascer algo novo, uma frieza que surgia vagarosamente, tal e qual como a tua irritação ao ficares, por vezes, sem palavras ou elas ficarem sem um pouco de ti.

Paraste após numerosas tentativas, tinhas as folhas amachucadas em cima da cama, querias desfazer-te delas.
Pegaste em cada uma e fizeste pontaria para o balde do lixo que tinhas junto à secretária velha e com cheiro a tinta, acertaste todas as vezes.

Tiro certeiro, sabias que o amor estava bem… no lixo.


les fleurs mortes.

 
Autor
Fleur
Autor
 
Texto
Data
Leituras
959
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Raul Cordeiro
Publicado: 25/10/2007 19:04  Atualizado: 25/10/2007 19:04
Membro de honra
Usuário desde: 23/07/2007
Localidade:
Mensagens: 671
 Re: Lixeira do Amor
Bela construção. Parabéns

Raul Cordeiro