https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

UM HOMEM MORRE DE FRIO

 
UM HOMEM MORRE DE FRIO
 
Nos braços de Morfeu queda a cidade.
Gélida avança a noite sob o vento
Que zune açoites, bravio.
Por leito e barricada andrajos tendo,
Num canto, ao pé de arranha-céu imenso,
Um homem morre de frio...

Agonizando, ali, talvez delire,
Vendo os pedestres últimos, em busca
Do leito morno, macio...
Talvez, sinta-se um deles, por momentos...
Um homem desses, livres das algemas
Do destino. Ah, desvario!...

Morre indigente. Já não mais lhe ocorrem
Reminiscências de melhores dias.
Não tem mais traços de brio.
Distantes sons de uma boate em festa
A custo põe-se a ouvir. Perdem-se, agora,
No seu imenso vazio...

Nem todos dormem. Ornam-se de luzes
Os altos edifícios. E eis, um carro
Pára junto ao meio-fio.
Traz de Mammon uns súditos restantes
Que, indiferentes, tiritando e rindo,
Vão-se com seu vozerio...

Ensaia erguer-se; embalde, embalde tenta...
Thanatos já, movendo as longas asas,
O envolve, terno e sombrio.
À volta, entre as paredes, que ironia:
Há tantos indivíduos que se abraçam
E tanto leito vazio!

Bem cedo hão de encontrar-lhe o corpo, inerte.
Hão de exprobrar-se, por negar-lhe auxílio,
num gesto inóquo, tardio...
Talvez, alma remida, ao sol do Além planando,
Não mais proscrita, logo exulte e louve
O Averno da crosta, frio...

“- Coitado!”... “- Oh, que infeliz!"... “- Quem era ele?"
“- Um ébrio, com certeza". “- Um andarilho."
“- Um réu, talvez, arredio"...
Descerrem seus portais, guardiões do Inferno!
Estendam o seu fogo ao mundo infrene!
Um homem morre de frio...

(Da coletânea "Estado de Espírito" - Sergio de Sersank)


Sergio de Sersank
Visitem meu blog literário "Estado de Espírito"
http://sersank.blogspot.com

"E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."
Mateus 25:40
 
Autor
Sergio de Sersank
 
Texto
Data
Leituras
1711
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
10
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 06/06/2012 04:46  Atualizado: 06/06/2012 04:46
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: UM HOMEM MORRE DE FRIO
Lá fora a vida ruge sua vida rude.
Um homem morre de frio
Não há um só remédio em toda medicina.
Obrigada. bjs


Enviado por Tópico
Transversal
Publicado: 06/06/2012 04:51  Atualizado: 06/06/2012 04:51
Colaborador
Usuário desde: 02/01/2011
Localidade: Fortaleza - Lisboa
Mensagens: 3687
 Re: UM HOMEM MORRE DE FRIO
e como neste final
"-Quem era ele?
descerrem seus portais
seu fogo ao mundo infrene!
Um homem morre de frio..."
se entrelaçam as palavras, que
"Hão de exprobrar-se, num gesto inóquo, tardio...
(as) Reminiscências de melhores dias,
(seja) nos braços de Morfeu,
(sejam) uns súbditos restantes de Mommon
(sejam) as longas asas de Thanatos,
que zunam os açoites".

Excelente momento. Parabéns. Obrigado.

Abraço-te


Enviado por Tópico
Manu_C.
Publicado: 06/06/2012 16:41  Atualizado: 06/06/2012 16:41
Colaborador
Usuário desde: 22/12/2011
Localidade: Itália, Milano
Mensagens: 572
 Re: UM HOMEM MORRE DE FRIO
Que absurdo morrer assim, não só de frio,
mas principalmente de indiferença,
a mais grave doença na sociedade moderna.

Um poema que convida à reflexão.

Obrigada,
Manuela


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 07/06/2012 08:13  Atualizado: 07/06/2012 08:13
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: UM HOMEM MORRE DE FRIO
Sérgio,
Um tremendo poema social. Só posso aplaudir.
Beijo
Nanda

Enviado por Tópico
Sergio de Sersank
Publicado: 07/06/2012 16:31  Atualizado: 07/06/2012 16:31
Super Participativo
Usuário desde: 13/01/2010
Localidade: Londrina-PR BRasil
Mensagens: 159
 Re: UM HOMEM MORRE DE FRIO
Nanda, amiga poeta,

Gratifica-me saber que o poema adentrou o seu coração e moveu-te a aplaudi-lo.
Um poema cumpre a sua função quando encontra ressonâncias. É para isso, afinal, que escrevemos, não é mesmo?
Agradeço-te, pois, o “feed back”.
Com votos de saúde e paz, te envio afetuoso abraço.

Sergio de Sersank

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/06/2012 16:47  Atualizado: 07/06/2012 16:47
 Re: UM HOMEM MORRE DE FRIO
"Um homem morre de frio"!
O frio que mata a Alma é o pior frio sentido...no abandono da existência.

Parabéns ao teu texto, onde dor e beleza se completam.

Abraço.

Enviado por Tópico
Sergio de Sersank
Publicado: 07/06/2012 18:07  Atualizado: 07/06/2012 18:07
Super Participativo
Usuário desde: 13/01/2010
Localidade: Londrina-PR BRasil
Mensagens: 159
 Re: UM HOMEM MORRE DE FRIO - p/ Tuaprimavera
Obrigado, poeta.
A indiferença dos cidadãos comuns para com os menos favorecidos, excluidos do contexto social, é, ainda, uma realidade gritante.
Nosso cristianismo é posto à prova a todo instante.
Abraço,
Sergio de Sersank