https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Miragem

 
 
... e, quando chegar ao fim deste sinuoso caminho, abrirei as minhas asas renovadas de ave livre dos grilhões de um destino miserável que cavei com as minhas próprias mãos. E sob o silêncio sepulcral da paz dos anjos em solenes devoções celestiais, que, espero, nessa hora me invada a alma; planarei sobre este Tejo sereno e paciente, que escutará sem protestos, os lamentos das mil penas do arrependido. Sem pena, deixá-las-ei cair uma a uma. Enquanto as penas deslizam na corrente, olharei o horizonte como se fosse a primeira vez... Nesse momento, serei um homem feliz!

Open in new window


*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
635
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/06/2012 11:34  Atualizado: 25/06/2012 11:34
 Re: Miragem
Sensacional..."que, espero, nessa hora me invada a alma"...a certeza com o toque de fé...que lindo texto.Adorei,parabéns.Beijo e boa semana.

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 25/06/2012 12:36  Atualizado: 25/06/2012 12:37
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: Miragem
Consoante a idade avança, vamo-nos distanciando daquilo
que nos agride, arranjando um espaço harmónico em nós que nos
dá sem dúvida alguma ansiada paz.

Gostei de ler-te
beijinho