https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Melancolia

 
A tarde ia avançada,
Envelhecia
O Sol,
Decidido que havia brindado o dia, deitava-se agora no crepúsculo, estreitando de laranja o horizonte
Débil,
Desmaiado, acamava-se lentamente
Como tela dúplice numa beleza plangente
Sentado,
Defronte á angra,
Alheado,
Á maré crescente
Ali estava eu, desfalecido… vencido p`lo presente
Olhos marejados,
Vil sofrimento,
Nem a perfeição da paisagem me dava alento
Ergui o olhar,
O Sol cedia lugar á Lua,
Sedutora,
Vestida de luz
Aprontava-se ao espelho d´agua, refletindo sua beleza como vela a bruxulear
De ombros caídos,
Melancólico de saudades
Recordei lugares…
Etéreos Luares
A suave maresia,
O sulcado do teu respirar
O indizível do teu amar
A fragrância do teu corpo suado…
Então,
Abatido,
A cabeça sobre os joelhos cansados
Espreitei um ultimo olhar ao horizonte,
Também ele mostrava ser triste… sorriu para mim
Sorriso, que além de triste, vinha meigo… Com bonomia, numa autorizada empatia
Elevei um pouco mais os olhos, vi num traço da lua, uma pincelada tua…
Paixão despida, chama apagada…
Lágrimas sofridas, por tua alma caídas.

Luís Paulo




Luis Paulo

 
Autor
lpaulo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
526
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.