https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Mas o vento

 


como quem não consegue guardar
de um segredo a ânsia de um beijo
como quem

de uma braçada alcança quando larga
braços de mar, promontórios
como quem

se põe nas praias bailando as gaivotas
que olhos mentem quando amam
como quem

se planta em estacas nos baixios
fura as redes desbravando uma força
como quem

espera um norte magnético apontando
filhos e morte e filhos
como quem

nada sobra de um sonho que não seja
a sela, o galope, esventrando
como quem

como quem parte ficando
como quem sobra acrescentando
como quem ri chorando
como quem morre vivendo

Mas o vento
mas
o vento


O meu verdadeiro nome é José Ilídio Torres. É com ele que assino os meus livros.
Já publiquei 10 obras em géneros diversos: crónica, romance, conto e poesia.
Foi em 2007, aqui no Luso, que mostrei pela primeira vez.

 
Autor
SilvaRamos
 
Texto
Data
Leituras
705
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/03/2013 16:11  Atualizado: 25/03/2013 16:11
 Re: Mas o vento
Boa tarde poeta.
O vento é um bom condutor do amor.
O vento acompanha a felicidade e a eternidade paixão que se molda dentro de almas amadas.


Cumprimentos,

Frank_Mike