https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Aos poetas #.#.#

 
Aos poetas






Entre o que digo e o que você entende,
Há um istmo sobre esse abismo,
Um poema sombrio que nos separa.

Os teus olhos param no meio dessa ponte
E travam.
Olhos não pensam e não têm pernas,
Mas o cérebro, sim, tem asas... tensas!

Os covardes tremem diante
Da lancinante travessia,
Que não é longa, disso posso dizer.
O problema é ter que mirar o fundo
E descobrir que o fundo não tem fundo.

E ficamos assim, maltrapilhos,
Ouvindo ecos dos próprios dizeres,
Aprendendo em nós mesmos,
Nesse belo teatro de fala de(s)corada.

E para manter as máscaras (ou derrubá-las),
E para manter a esperança
Nessa comunicação insólita,
Construímos poesias, arremedos,
E viramos poetas de um mundo em chamas.

E alguns até se compreendem (ou pensam),
Raros porém,
Em momentos fugidios,
Como a um terno beijo roubado.

É assim que enviesamos as palavras,
Até virar no seu avesso, sua legítima expressão.
E a qualquer preço, estrídulos,
Arfamos no desejo de sermos compreendidos,
De sermos aceitos,
Mesmo dizendo, em lágrimas, do seu contrário.







Milton Filho/17.07.13





 
Autor
Srimilton
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1498
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
62 pontos
28
1
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/07/2013 13:58  Atualizado: 21/07/2013 13:58
 Re: Aos poetas
Poeta:
Seu poema me deixou pensativa e admirada
diante de tantas verdades.

Destaco:

Mas o cérebro, sim, tem asas...Tensas!


E para manter as máscaras (ou derrubá-las),
E para manter a esperança
Nessa comunicação insólita,
Construímos poesias, arremedos,
E viramos poetas de um mundo em chamas.


Gostei demais.

Abraços


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/07/2013 14:37  Atualizado: 21/07/2013 14:37
 Re: Aos poetas
Vou citar parte do poema um, do livro de nada, de Alberto Pimenta, a propósito dos poetas, e sobretudo de alguns dos seus poemas:

«ao que parece
parece que
os poetas
dizem o que dizem
diz um poeta

segue-se
ao que parece
segundo o mesmo poeta
que os poetas
dizem o que dizem
mas o que dizem
não quer dizer
o que dizem

os especialistas
uns dizem
que alguns poetas
querem dizer o que dizem
e outros não

(...)»

DM


Enviado por Tópico
Lápis
Publicado: 21/07/2013 15:43  Atualizado: 21/07/2013 15:43
Da casa!
Usuário desde: 27/04/2012
Localidade:
Mensagens: 289
 Re: Aos poetas
Fez-me recordar uma carta resposta de Quintana à um poeta, transcrevo-lhe um trecho, gosto de le-la todas as vezes que me sinto confusa...apenas lembrei-me, por favor não entenda como uma crítica ou uma didática...apenas partilha.
Obrigada pela fruição.
(Abraços)
Lápis
"O Profeta diz a todos: “eu vos trago a verdade”, enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: “eu te trago a minha verdade.” E o poeta, quanto mais individual, mais universal, pois cada homem, qualquer que seja o condicionamento do meio e e da época, só vem a compreender e amar o que é essencialmente humano. Embora, eu que o diga, seja tão difícil ser assim autêntico. Às vezes assalta-me o terror de que todos os meus poemas sejam apócrifos!"


Enviado por Tópico
Felisbela
Publicado: 21/07/2013 19:03  Atualizado: 21/07/2013 19:03
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2011
Localidade:
Mensagens: 2207
 Re: Aos poetas
Olá Milton;

Gostei muito deste poema e fiquei a pensar...depois escrevi e espero que não me leve a mal...rsrs

Não me sinto "poeta" mas:

Ao ler este poema fiquei a pensar
Nas noites e dias em que leio
Textos que me parecem mostrar
Desejo, dor e até anseio

Pode não ser o estado de alma
Da pessoa que o escreveu
Mas fica a identificação, que acalma
Ou torna forte quem o leu

Retirei do bolso rascunhos guardados
E tomei a liberdade de os publicar aqui
Apenas ruídos, sorrisos meio abafados
Fingimentos de verdadeiros poemas que li

Abri as minhas asas e voei livremente
No céu já constelado que aqui havia
Escrevamos tudo o que nos vai na mente
Demos apenas espaço à nossa fantasia…

Um abraço

Felisbela


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/07/2013 20:51  Atualizado: 21/07/2013 23:12
 Re: Aos poetas
anotei num canto do caderno uns dizeres do poeta Salgado Maranhão. vou por aqui. '...o mundo nunca precisou tanto de poesia como agora (...) a poesia quer apenas ser (...)o que fascina as pessoas é sua gratuidade, sua verdade genuína no mundo quase todo poluído pelo interesse (...)a poesia não não faz como a literatura de autoajuda, que aponta caminhos. não dá receitas, dá autonomia. não nos manda imitar o outro, quer que descubramos nosso próprio mapa. (falei, e disse!) (e o que tu disseste, está falado!)
meu 'abraçaço' bem caRIOca.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/07/2013 22:54  Atualizado: 21/07/2013 22:54
 Re: Aos poetas
Não há como deixar de viajar aqui....perguntas que me faço," De onde vem?" "Como passou por mim?" e "qual a finalidade?"....Tenho algumas respostas em que acredito, mas não sei se encontrarei as minhas, ou talvez um dia, mas é gratificante que este abismo entre o que dizemos e o que se entende dê margens a tanta magia....deixa assim....cara, gostei um monte! parabéns!! Abraço


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/07/2013 23:16  Atualizado: 21/07/2013 23:16
 Re: Aos poetas
"Entre o que digo e o que você entende,
Há um istmo sobre esse abismo,
Um poema sombrio que nos separa."

Poetas, são esses estranhos seres que se comprazem em saltar abismos...Talvez, no fundo, não queiram ser nada compreendidos ou aceitos.

Abraço,

Sandra.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/07/2013 23:46  Atualizado: 21/07/2013 23:46
 Re: Aos poetas
'Cisma*
Um istmo une paragens
Olhares e palavras
Esparrames incontidos...
Fissuras, escapes
Uma fração de tempo, enquanto hesito...
Densidade do sujeito oculto, verbo
O não abandono do objeto... direto?
As palavras sempre ficam ao meio
Umas escondem-se das outras
Levitando ante os olhares, na dualidade
Na ânsia de serem lidas
Ou postas de lado, esquecidas.
Talham vestes transparentes
Para preencherem distâncias
Fugazes, próximas, aparentes.
Talvez uma cisma
Um sobressalto
Glória, abundância, nobreza
Derrota, purificação, pobreza...
Não sei... entre a palavra e o olhar
Cabe o infinito, a força... a minha fraqueza.
Karinna*'

Sabe, eu penso que quando se apregoa a tão falada liberdade de expressão, inclui-se a liberdade de colocar o que a poesia eclodiu no interior do leitor, aquém o sentido que o autor pontuou.
Se mil pessoas lerem, acredito que podemos ter mil impressões diferentes, mil nuances advindas da mescla- olhar e alma do leitor, olhar e alma do autor-.
E pessoalmente aí, nesse ponto, que reside o fascínio da escrita!
A riqueza da liberdade da diversidade me instiga, me atrai.
Talvez por isso não faço crítica literária, porque para mim, escrever e apreciar poesia é um ato, um punho em riste, é vida plena, portanto não tenho parâmetros técnicos, pois leio com olhos d'alma.
Divaguei legal....rsrsrs
Gosto de deambular contigo.
Obrigado
Beijoka*


Enviado por Tópico
GabrielaSal
Publicado: 21/07/2013 23:55  Atualizado: 21/07/2013 23:55
Colaborador
Usuário desde: 19/01/2013
Localidade:
Mensagens: 793
 Re: Aos poetas
Que bonito Milton!
Já conheci esses momentos fugidios...
Abraços,

.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•`*´ Gabi.♥

Saudade de te ler.


Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 22/07/2013 00:28  Atualizado: 22/07/2013 00:28
Luso de Ouro
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5541
Online!
 Re: Aos poetas
"O problema é ter que mirar o fundo e perceber que o fundo não tem fundo..."

sabe Milton, creio que toda arte tem esses rasos que chamam atenção pela beleza e convidam a mergulhar no secreto do artista e aí é que está a emoção. o desejo de desvendar o quanto ali é mentira e o quanto é verdade. quando insinuo escrever incomoda-me essas inquietações mas aí digo; ah! quando for poeta me preocuparei com isso. faço assim porque se retalhar pra analisar, dói muito, melhor mesmo é futricar o que os outros escrevem. por isso estou aqui, molhado a ponta da alma na profundidade do seu poema.

grande abraço.


Enviado por Tópico
fotograma
Publicado: 22/07/2013 01:10  Atualizado: 22/07/2013 01:10
Colaborador
Usuário desde: 16/10/2012
Localidade:
Mensagens: 1576
 Re: Aos poetas
há um poema querendo nascer aqui
asas tensas e bicada vigorosa
mais um pouco e abandona de vez
a calcária casca e alça vôo
sem olhar para baixo


isto não é uma gentileza
é uma pedrada de incentivo rs


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 22/07/2013 20:44  Atualizado: 22/07/2013 20:44
 Re: Aos poetas
olá Milton. eu vejo a poesia de cada um como um lago onde mergulho para sentir as emoções ou sentimentos do poeta. às vezes à superfície é o suficiente. outras vezes há que mergulhar fundo. e a verdade é que por vezes nadamos em nada, ou em muito sem sabermos. belo poema. é por isso que te disse que a tua presença neste site era valiosa. grande abraço


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/07/2013 12:28  Atualizado: 25/07/2013 12:28
 Re: Aos poetas
Olá Milton!

Amei este teu texto poético, que dispensa palavras (interpretações).
pois se diz , define com clareza, é universal...

Parabéns, meu amigo poeta! Este vou levar...

Bjs,


ALICE


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/11/2014 00:15  Atualizado: 10/11/2014 00:15
 Re: Aos poetas
«E para manter as máscaras (ou derrubá-las),
E para manter a esperança
Nessa comunicação insólita,
Construímos poesias, arremedos,
E viramos poetas de um mundo em chamas.»


Fonte: http://www.luso-poemas.net/modules/ne ... ryid=252167#ixzz3IcjQq0tu

Bacana a sua definição do poeta,eu diria que de tão coerente,raia ao quase universal,além da sua visão e talento em expressar com sensibilidade.