https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Pitucha e Tilica

 
Pitucha e Tilica



No Aririú, em Palhoça, a nobreza,
D’um Reino que se identifica;
Impera soberana a rainha-mãe, Tilica
Com Pitucha, fofa herdeira princesa.

Mimosas, nobres estas duas cadelas,
Ativas vozes, mimos do seio familiar
Se à língua dos donos não sabem falar
Os donos já sabem a linguagem delas.

“Jusch”, “Pit”, - olha a “Ticha”, tá, vem,
Disparam faceiras, prontas a agradar.
Não abanam o rabo, porque não têm.

Alegres, atentas, dispostas à brincar
Disputam espacinho ao lado“dum Bem”
Pitucha e Tilica, as xodozinhas do lar!



Máximo Enio da Silva

 
Autor
Maximoeniodasilva
 
Texto
Data
Leituras
339
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.