https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Coruja

 
Corujas

Grandes olhos redondos, mirantes de nobreza.
Encaixados nas órbitas da cabeça avolumada,
Fixos, dois discos côncavos de penas radiadas;
Faces cordiformes, arroubo-mor da natureza.

Silenciosas no ar em vôo; Penas deslizantes,
Macias, lisas, fofas, aparência aveludada.
Ouvidos alerta, qual sentinela adestrada.
Processar os sons, habilidade circunstante.

Pradarias, desertos, brejos, buracos ao chão.
Pássaros, rãs, vermes, insetos e roedores,
Imagens do habitat, de variada alimentação.

Mochos da Eurásia, Caburés, Grandes cinzentas,
Anãs, das Neves, de Igreja, do Mato, Buraqueiras...
Sábias de real beleza. Nenhuma delas agourentas!

Maximo Enio da Silva

 
Autor
Maximoeniodasilva
 
Texto
Data
Leituras
351
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.