https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

soneto do suicida

 
“Os crimes seus no inferno se agravaram;
Já lhe disse as blasfêmias, os furores
Digno prêmio em seu peito lhe deparam.

“Vem agora após mim; pelos fervores
Não caminhes da areia incandescente;
75 Da selva ao longo evitas-lhe os ardores”.

A Divina Comédia - Inferno - canto XIV






Era noite quando se acercou, discretamente que vinha;
a prata dos raios do luar banhava cheia a triste figura.
A sós, logo estaria dizendo adeus, numa triste ladainha;
sombrio, mas tentava aparentar apatia àquela altura.

Aos pés da figura amada cairia, ignorava fosse venenosa,
cursaria todo orbe, então, aos ventos anunciaria somente;
ora tudo na mente relegaria; ao dito a voz seria volumosa,
havido êxito, o ósculo selaria a reconciliação, suavemente.

Quando falasse, cada sílaba sua teria sentido, seria clara,
estava farto de adeuses, a cada despedida, a alma separa,
sem nenhum retardo outro, daria por encerrada a historia.

Não mais ouço passos sob lua de prata, nem olhar atento,
através do pórtico do jardim aguardando fugaz momento;
olhos brilhantes sem viço. Um tiro. Deixou a vida sem glória






[ certamente agora habita o limbo]




 
Autor
shen.noshsaum
 
Texto
Data
Leituras
1040
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
6
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/05/2014 14:20  Atualizado: 20/05/2014 14:20
 Re: soneto do suicida
muito bom, cachorrinho/a!

mesmo, mesmo!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/05/2014 15:07  Atualizado: 20/05/2014 15:07
 Re: soneto do suicida
P e r f e i t o! Mensagem passada com métrica,
ritmo,e erudição na medida certa.
Gostei.




Enviado por Tópico
shen.noshsaum
Publicado: 20/05/2014 17:08  Atualizado: 20/05/2014 17:08
Super Participativo
Usuário desde: 06/04/2013
Localidade:
Mensagens: 184
 Re: soneto do suicida
agradeço a atenção de vcs, tipo assim, foi surpresa receber uma nota do akze, meu grande mestre e incentivador neste tipo de letras. esforço-me.