Textos : 

Return to Innocence

 
"Have to dive into my fantasies
I know as soon as i'll arrive
Everything is possible
Cause no one has to hide
Beyond the invisible"


...Inocência, algo que se perde, dizemos nós, com a idade. Será que é mesmo assim? Será que perdemos mesmo essa forma de ser enquanto caminhamos pelos anos da vida? Quantas vezes olhamos para trás e reparáramos que realizamos determinadas acções com a inocência de uma criança que apenas agora começou a dar os primeiros passos! Oferecemos aos outros, nessas alturas, a maior pureza que temos, a maior dádiva que temos dentro de nós, partilhamos as chaves das nossas defesas internas, colocamos a nossa alma e corpo numa bandeja de prata e dizemos "é tua, toma-a!", sem que qualquer medo nos venha daí. Nessa altura viajamos para além do visível, do impossível, sonhamos acordados, tornamo-nos crianças, alheias ao mundo, alheias à dor, à saudade, à distância, ao medo - voltamos à idade da inocência, a criança volta a viver em nós!

"Close your eyes
Just feel
and realize
It is real
and not a dream"


O momento eterniza-se no tempo, guarda-se na memória de longo percurso, a imagem que nos faz reviver idades perdidas, eras em que éramos nós e o mundo, em que apenas vivíamos para o saltar da cama com toda a energia da vida e corríamos para a rua, felizes, porque estava um belo dia de Sol. Um dia em que apenas queríamos brincar, correr, saltar, ser e viver como crianças que éramos!

Com a idade a avançar vamos esquecendo dessas emoções de apenas existir para viver. Esquecemos-nos de fechar os olhos, das sensações do corpo exausto pela alegria do dia, varre-se da mente os pequenos nadas que nos preenchiam por completo, da forma sincera como se sentia o outro, o amigo, a amiga, como acreditava-mos, piamente, nas histórias do Papão e da Cinderela, como era bom receber um abraço meigo e sentido de alguém que gostávamos, sem medos, nem complexos.

É tão bom quando conseguimos voltar a ter essas emoções de inocência, quando deixamos que a criança renasça, acorde, que olhe o mundo com a simplicidade que se deve ver e olhar. É tão único tocar no que nos rodeia e faz sorrir de uma forma pura, sem intenções de nada, apenas dando e recebendo o que para nós e para os outros está destinado. É tão surreal conseguir deixar permanecer, nos nossos horizontes da memória, as imagens que nos fizerem sorrir com o olhar. É tão especial voltar a acreditar que tudo é possível, tudo, mesmo para além do invisível - porque afinal, mesmo depois de morrermos várias vezes nesta era da Terra Média, continuamos a ter em nós, a inocência de uma criança (não desaparecida com a idade, apenas adormecida com o tempo).

Porque tudo é possível...nem que seja apenas no teu próprio mundo, aquele que partilhas como criança a quem te dás!

porque tudo é possível quando voltas à tua inocência!


"Quanto maior a armadura, mais frágil é o ser que nela habita!"



 
Autor
Gothicum
Autor
 
Texto
Data
Leituras
854
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Onde_está_o_@mor?
Publicado: 10/07/2015 20:10  Atualizado: 10/07/2015 20:10
Membro de honra
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Funcheira
Mensagens: 738
 Re: Return to Innocence
Compadre eu de estrangeiro nã percebo nada mas iso da criança você tem toda a razão. Á sempre um menino dentro de nos. abraço