https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

À nova musa

 


Vi o musgo recobrindo vetustas pedras,
restos das muralhas das antigas cidadelas;
a luz da manhã se propagando nas aguas do riacho
aquecendo o orvalhos nas pétalas das flores.

Também os vales exuberantes cobertos de grama,
refletindo no céu vermelho do entardecer brilhante;
edifícios, monumentos, museus e tantos altares,
atentamente reparados em horas de preciosa solidão.

Vi as trilhas nas dunas das areias vagantes do deserto,
e o silencio à sombra dos carvalhos centenários,
não cedendo aos caprichos do vento brincalhão,
insistente em farfalhar impetuoso as folhas ao redor.

Nos espelhos das enseadas protegidas por montanhas,
vi ondas crisparem o azul em formidáveis vagas,
e novamente formar-se o lago de agua limpa,
num remanso cantante coroado de espumas prateadas.

Já vi o brilho dos raios ao troar dos trovões,
ribombos cruéis meio à tempestade inclemente,
e o suave encantamento dos píncaros nevados,
cumes furando as nuvens como estacas do céu.

Mas nenhuma emoção se compara ao sentimento,
quando vejo uma nova musa assim tão cheia de charme.


De arrebatada figura,
sou altivo, sou forte,
não carrego lutos e mágoas,
até um dia enganei a morte,
na sua faina de colher almas
e renasci.

 
Autor
Warmien
Autor
 
Texto
Data
Leituras
296
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
1
1
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Angelique
Publicado: 14/04/2016 01:18  Atualizado: 14/04/2016 01:18
Participativo
Usuário desde: 17/02/2016
Localidade:
Mensagens: 12
 Re: À nova musa
A leitura de cada poema é incrível, mas nenhuma é tão emocionante com a leitura do primeiro poema...