https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Ato de Amar

 
Entardecer em teu riso que logo a saudade me é dor
Pelo pensamento que além do tempo, o todo é viver
Em visão a perfeição que me pulsa em ti com fulgor
Com o desejo que incontido me insinua sem querer

Pelos instantes em que a duração pífia me faz incolor
Ao olhar que o compasso me cala e me faz subscrever
Por linhas que o sentido é o real em natureza e flor
Filosofia de um coração a espera que venha o socorrer

Razão desenfreada como o mar em sua fúria e beleza
Quando pelo cotidiano já não me sinto mais em mim
Pelo movimento do silêncio que o tom não me é certeza

Em que o prazer já estranho escreve pra não esquecer
Que o não ainda vazio em esperança a voz que não é fim
Pelo infinito amanhã de um drama que a cor te faz chover


Murilo Celani Servo

 
Autor
murilocs
Autor
 
Texto
Data
Leituras
274
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 24/10/2015 00:38  Atualizado: 24/10/2015 00:38
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9304
 Re: Ato de Amar
Boa noite Murilo, teus versos enredam com primazia as efemeridades do amor, apesar das suas intensidades, um abraço, MJ.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 24/10/2015 18:13  Atualizado: 24/10/2015 18:13
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29303
 Re: Ato de Amar
Um poema encantador. Uma alma apaixonada que aclama um amor imenso a um lindo ser