https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Chacina

 
 
Gumes de primavera mal nascida
atravessaram o peito da cameleira:

esvaíu-se em sangue e em pomos tenros
imaturos, infloridos
-
que não conseguiu reter na copa do seu abraço
nem fazer crescer à seiva do seu seio.

E o vento veio:
frio, o seu golpe de misericórdia
aos pequenos botões indefesos
ainda embrulhados sobre si mesmos
como fetos em desespero.

Jazem sobre a terra
entre florzinhas miúdas
-
A árvore mãe
c. h
o. r
.a
gotas de chuva.


Teresa Teixeira


 
Autor
Sterea
Autor
 
Texto
Data
Leituras
709
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
1
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Joanad'Arc
Publicado: 18/06/2016 11:57  Atualizado: 18/06/2016 15:24
Da casa!
Usuário desde: 29/03/2010
Localidade: Lisboa
Mensagens: 255
 Re: Chacina
Ninguém, por mais que tente,
obtem orvalho assim tão fino;
a menos que te iguale no decante
e saiba como se embala um berço de menino!...

jinhos, mq T.T

joana